Sobral – 300×100
Seet

Cavalgadas e tropeadas estão proibidas em 9 cidades do TO para evitar surto de doença

Agnaldo Araujo - |
Foto: Ilustrativa
A decisão é para evitar um surto da doença

Márcia Costa//AF Notícias

A Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) suspendeu a aglomeração de equídeos nas cidades de Formoso do Araguaia, Sandolândia, Cariri do Tocantins e Palmeirante, e proibiu a realização de tropeadas e cavalgadas nos municípios de Guripi, Dueré, Fugueirópolis, Araguaçu, Lagoa da Confusão, Colinas do Tocantins, Tupiratins, Nova Olinda e Brasilândia. Os eventos só serão autorizados pela Adapec após vistoria em todas as fazendas.

A Adapec também determinou que todos os inspetores e fiscais de defesa agropecuária estejam em alerta para o cumprimento da proibição. A decisão ocorre após a confirmação recente de casos em quatro municípios. Um deles em Palmeirante. Lá, o animal foi sacrificado e a fazenda foi interditada.

O mormo é uma doença infectocontagiosa, causada por uma bactéria. A doença atinge homens e equídeos, sendo conhecida em outras regiões por nomes como: lamparão, farcinose, mal de mormo e catarro de burro. Por ser uma doença desse porte, o fluxo animal é controlado quando é comprovada a presença da doença e são tomadas medidas drásticas de isolamento e até sacrifício.

O Estado do Tocantins teve o primeiro caso de mormo confirmado em junho de 2015. No mesmo ano foram registrados 16 casos da doença em Formoso do Araguaia, no sul do Estado. Já em 2016 foram oito casos, cinco em Sandolândia e três em Cariri. Em 2017 já foram registrados cinco casos.

Comentários pelo Facebook: