Seet
Sobral – 300×100

Polícia apreende 118 objetos comprados pela internet com suspeito de estelionato

Redação AF -
Foto: Divulgação
Polícia Civil apreende vários produtos comprados na internet por suspeito de estelionato

A Polícia Civil de Colinas cumpriu mandado de busca domiciliar que resultou na apreensão de vários objetos, documentos, computadores e produtos de origem duvidosa, sem nota fiscal e sem procedência clara. A operação aconteceu no dia 30 de dezembro, na residência de Leandro de Sousa Aires, suspeito da prática de estelionato.

De acordo o delegado responsável pela operação, Joelberth Nunes de Carvalho, a busca deu-se pelo registro de um boletim de ocorrência e duas denúncias que chegaram à delegacia. “Na residência do suspeito foi realizada uma busca minuciosa em cada cômodo, onde encontramos uma grande quantidade de produtos comprados pela internet”, afirma o delegado.

Foram apreendidos 118 itens, além dos que estavam acondicionados em caixas, malas e sacos plásticos. Antes de entrar na casa de Leandro, a Polícia Civil tentou entrar em contato com ele, mas o homem não apareceu em sua casa e nem respondeu a policia até o final da operação.

A Polícia Civil constatou que Leandro é desempregado e não possui renda mensal. Segundo o delegado Joelberth, as investigações continuam com a suspeita de que ele também tenha cometido o crime de lavagem de dinheiro.

A busca e apreensão foi realizada pelos policiais civis da 1ª e 2ª Delegacias de Colinas, sob a coordenação dos delegados Joelberth Nunes de Carvalho e Ronie Augusto Rodrigues Esteves.

Foto: Divulgação

Entenda o caso

Segundo o delegado Joelberth, em maio de 2014 foi registrado um boletim de ocorrência de uma vítima, informando que no mesmo mês chegou à casa de sua mãe um HD externo, que o mesmo afirma não ter comprado. A nota fiscal demonstrava que o pagamento do produto foi feito com cartão de crédito, em parcela única.

Após ligar no serviço de atendimento da loja online onde foi feito a compra, a vítima constatou que foi utilizado um cartão de crédito em seu nome, causando a suspeita de que alguém tenha criado este cartão.

A vítima desconfiou de Leandro de Sousa Aires, que utilizou no cadastro do site online o número de telefone do escritório de contabilidade de seu irmão. Segundo ela, Leandro vai sempre a este escritório, para conversar e acessar a internet nos computadores do estabelecimento. Após verificar o histórico de um dos computadores, a vítima constatou o cadastro de Leandro no referido site de compras.

Outra denúncia chegou à delegacia de Polícia Civil em maio de 2015, por e-mail. Uma segunda vítima narrou que no mesmo mês foram realizadas duas compras em sua conta num site de vendas. Segundo o denunciante, as compras foram feitas por Leandro da Silva Bastos.

A terceira denúncia foi feita em 22 de dezembro de 2015. O delegado Joelberth recebeu uma ligação do representante de um e-commerce, informando sobre uma compra fraudulenta de um forno elétrico. O produto seria entregue no endereço em que vive Leandro da Silva Bastos. O informante afirmou ainda que recebeu a denúncia de uma operadora de cartões de crédito, informando que a compra foi realizada com um cartão de crédito clonado.

Com tais fatos, dando continuidade as investigações, a Polícia Civil foi até a agência de correios do município. Os funcionários esclareceram que há muito tempo fazem entregas de muitos produtos comprados pela internet no mesmo endereço, e quem os recebe é Leandro de Sousa Aires.

Comentários pelo Facebook: