Seet
Sobral – 300×100

Cerca de 400 manifestantes hostilizam TV Globo em frente ao prédio da emissora no DF

Agnaldo Araujo -
Foto: Patrícia Cagni
Pichação feita no prédio da Globo em Brasília

Cerca de 400 manifestantes foram protestar contra a Rede Globo, na noite da última sexta-feira (04/03), em frente ao prédio da emissora na região central de Brasília. Com palavras de ordem, pichações e cartazes contra a cobertura jornalística do maior grupo de comunicação do país, o ato provocou certo tumulto no local e causou apreensão entre os profissionais da empresa, que ficaram impossibilitados de entrar ou sair do edifício durante pouco mais de uma hora de manifestação.

Segundo o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, houve princípio de incêndio em um contêiner de detritos, em uma via de acesso ao prédio. Ao final do ato, lixo e pichações em um dos muros do prédio da emissora.

Segundo informações da Polícia Militar do DF, durante a dispersão do ato, uma manifestante xingou a equipe de uma das viaturas e recebeu voz de prisão, por desacato à autoridade. Alguns militantes reagiram à detenção, e a polícia precisou usar gás de pimenta, em ação sem muitas consequências.

O número de manifestantes no local foi subestimado pela polícia, de acordo com profissionais da Globo impedidos de deixar o prédio da empresa. Alguns se disseram amedrontados em razão de a militância ter ameaçado, aos gritos, invadir as dependências da emissora.

Coerção e reação

O protesto foi um entre vários orquestrados durante o dia como reação à condução coercitiva imposta ao ex-presidente Lula para depoimento à Polícia Federal, em São Paulo. Trata-se do inquérito sobre a relação entre Lula e sua mulher, Marisa, com uma cobertura no Guarujá e um sítio em Atibaia. Segundo a Operação Lava Jato, ambos custeados por empreiteiras envolvidas com o esquema de fraude em contratos na Petrobras. Lula nega qualquer irregularidade e diz que não é dono de quaisquer dos imóveis, e que apenas usufrui do que amigos lhe oferecem.

Durante o dia, em decorrência dos desdobramentos da condução coercitiva de Lula, diversos jornalistas da TV Globo foram hostilizados Brasil afora. Em São Paulo, onde Lula prestou depoimento, militantes do PT se revezaram em atos de apoio ao ex-presidente na sede do partido, na residência dele em São Bernardo do Campo e no Aeroporto de Congonhas, onde Lula prestou esclarecimentos à Polícia Federal. Em nota oficial, a emissora condenou a onda de agressões.

“A TV Globo repudia esses atos e se solidariza com seus profissionais, que não fazem mais do que relatar, com isenção e profissionalismo, fatos relevantes para os brasileiros”, diz a nota, lida pelo âncora do Jornal Nacional William Bonner.

Comentários pelo Facebook: