Seet
Sobral – 300×100

Cerca de 450 famílias serão despejadas de acampamento às margens da BR-153 no Tocantins

Redação AF -
Foto: Divulgação
Cerca de 450 famílias serão despejadas de acampamento às margens da BR-153 no Tocantins

As famílias sem terra do Acampamento Olga Benário, localizado às margens da rodovia BR-153 terão que desocupar a área por determinação da Justiça Federal até o próximo dia 15 de fevereiro. O acampamento fica localizado  entre os municípios de Fortaleza do Tabocão e Rio dos Bois (TO), na região norte do Estado.

A ordem para desocupação é resultante de uma ação judicial  movida pelo DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, na qual o órgão exige a desocupação forçada de todas as famílias que residem às margens da rodovia.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra no Estado do Tocantins afirma que, lamentavelmente até o momento nem o INCRA, nem o DNIT e nem a justiça tem um local para onde levar e abrigar as famílias acampadas que serão despejadas. Para o movimento, tal fato ocorre pela falta de comprometimento dos governos e governantes para com a reforma agrária no Brasil e que esta ação soa como “criminalização da luta social historicamente existente no país”.

O acampamento Olga Benário foi instalado em 22 de junho de 2013, com vistas à aquisição, pelo INCRA, da Fazenda Araguaína para o assentamento de cerca de 450 famílias. Segundo o movimento, se não fosse à morosidade do INCRA, as famílias do acampamento já estariam assentadas na terra pretendida, já que se trata de um imóvel que foi ofertado ao INCRA ainda em 2012. Já no segundo semestre de 2013 o órgão iniciou o processo de desapropriação/aquisição da área.

 

Diante desta situação, o MST disse quer espera que o Governo Federal resolva rapidamente a situação adquirindo a área para o assentamento das famílias acampadas, uma vez que segundo informações, a resolução do fato necessita somente de esforços finais  do  INCRA em Brasília.

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários pelo Facebook: