Seet
Sobral – 300×100

Cobrança da tarifa de esgoto pode ser suspensa em Araguaína, comemora vereador Leonardo Lima

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
O vereador comemorou a decisão da promotora em pedir suspensão da tarifa de esgoto

Márcia Costa//AF Notícias

O vereador Leonardo Lima (PRTB) participou de audiência pública para discutir as causas da poluição e a mortandade de peixes no Rio Lontra, em Araguaína (TO), e comemorou a decisão da promotora do Meio Ambiente em ajuizar Ação Civil Pública pedindo a suspensão da cobrança da tarifa de esgoto na cidade, no percentual de 80% do consumo de água.

O evento contou com a participação de moradores, vereadores e demais autoridades no Bairro JK, no último dia 16 de maio.

Na ocasião, os moradores questionaram sobre o não comparecimento de representantes da BRK Ambiental|Saneatins, que está sendo investigada pelo Ministério Público Estadual (MPE) por suspeitas de ser uma das empresas que poluem o Rio Lontra.

Conforme o vereador, o objetivo da audiência pública foi debater medidas que serão adotadas e buscar soluções aos problemas que há tempos têm provocado a poluição do rio, umas das principais reivindicações dos moradores do JK, bairro que fica às margens do rio. Para Leonardo Lima, a audiência teve resultado positivo.

“Estou muito satisfeito com essa audiência, pois não é apenas uma reivindicação minha como morador, mas de todos que querem ver as águas do Rio Lontra limpas novamente e que os causadores dos problemas sejam punidos. Também aproveitamos para comemorar a decisão da promotora do Meio Ambiente, Ana Paula Catini, em ajuizar uma ação civil no mês de junho pedindo a suspensão da cobrança da tarifa de esgoto, pois segundo a promotora, a suspeita é de que esse esgoto não está sendo tratado”, afirmou o vereador Leonardo Lima.

Os moradores reafirmaram que alguns dos problemas do Rio Lontra são causados pela atividade da empresa responsável pelo abastecimento de água do Município, a BRK Ambiental|Saneatins. Segundo os moradores, a empresa estaria jogando o esgoto dentro do rio sem o devido tratamento.

Um laudo técnico emitido pela Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), em outubro de 2016, comprovou que os lançadores de poluidores químicos foram as principais causas da morte de peixes no Rio Lontra. Na época, a Saneatins foi multada em R$ 1,5 milhão por lançar esgoto no rio fora dos padrões exigidos.

Comentários pelo Facebook: