Sobral – 300×100
Seet

Comissão faz cadastro de moradores para construção da Nova Feirinha; casas serão demolidas

Agnaldo Araujo - |
Fotos: Marcos Filho
Comissão visitando a Feirinha

O Projeto da Nova Feirinha, elaborado pela prefeitura de Araguaína, conta agora com ação conjunta formada por vários órgãos municipais e estaduais que buscam juntos soluções para o local. Na manhã desta sexta-feira, 02, equipes visitaram o local identificando usuários de drogas, cadastrando moradores e comerciantes e verificando condições de casas e estabelecimentos comerciais instalados.

Em reuniões anteriores, os órgãos definiram os quatro itens de trabalho: cadastro, que possibilita conhecer quem mora no local e qual ocupação; saúde, identificando os pontos de vulnerabilidade como por exemplo, prostituição; tráfico, com a identificação de pontos de drogas, com combate, e o vazio social de famílias que frequentam ou residem que precisam de assistência; e por último: demolição, com a desocupação de moradores e comerciantes para a construção do novo espaço.

Os nomes dos participantes do grupo de trabalho foram publicados no Diário Oficial de Araguaína nº 1333, através da portaria 412, a saber: Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Secretaria da Saúde, Vigilância Sanitária Municipal, Defesa Civil, Procuradoria Geral do Município, Polícia Militar (PM), Fundação de Atividade Municipal Comunitária (Funamc), Corpo de Bombeiros, Secretaria da Assistência Social, Departamento Municipal de Posturas e Edificações (Demupe).

Visita

Durante a visita, assistentes sociais realizaram o cadastro para identificar quem mora na Feirinha e quais as pessoas que só transitam ou frequentam o local que se tornou um ponto de tráfico de drogas e prostituição.

A equipe da Defesa Civil já identificou casas que vão ser demolidas imediatamente, visto que podem trazer risco de desabamento pelas más condições em que se encontram. Os moradores serão inseridos em programas habitacionais do Município, receberão moradia e os comerciantes serão indenizados.

Eliene Pereira de Souza contou que mora na Feirinha há 15 anos. Com olhar perdido, relatou que não tem pai e nem mãe e acabou indo morar na Rua do Amor por não ter condições financeiras.

“Quando dei por mim já estava aqui e, sem ter para onde ir, fui ficando. Vi meus filhos serem levados pelo Conselho Tutelar porque eu não tinha condições de criá-los. Agora estou feliz, me falaram que vou ter tratamento no CAPS [Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas] e terei um lugar para morar. Quem sabe posso pegar eles de volta”, disse.

Nova Feirinha

De acordo com o secretário do Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Júnior Marzola, a Feirinha é uma região que está há mais de 40 anos sem nenhuma modificação. “Todas as intervenções são para melhorar uma região importante da cidade que estava esquecida. Já temos recursos que foram encaminhados para a Caixa Econômica Federal (CEF) para aprovação”, afirmou.

Desde 2013, a Prefeitura vem trabalhando no projeto de revitalização da Feirinha. No primeiro levantamento da Prefeitura, ainda em 2013, foram catalogados 133 imóveis, entre estabelecimentos comerciais (bares, mercearias, depósitos, açougues e barbearias), residências e cerca de 50 famílias.

A Prefeitura já garantiu recursos federais para a realização da obra, com apoio da senadora Kátia Abreu. O Projeto da Nova Feirinha prevê a instalação de duas salas para cursos de artes, um Centro de Artesanato, um Centro de Geração de Renda e praça de alimentação no piso superior.

(Gláucia Mendes/prefeitura)

Comentários pelo Facebook: