Seet
Sobral – 300×100

Comoção, fé e homenagens marcam despedida da jovem reitora da Unitins vítima de câncer

Redação AF - |
Vivianne Asevedo (Ascom/Unitins)
Comoção e fé marcam velório e enterro da reitora da Unitins

Em todos os discursos a fé em Deus, testemunhada pela família e amigos da reitora da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), Elizângela Glória Cardoso, de 36 anos, foi colocada em evidência. “Mesmo nos momentos mais difíceis, ela não deixou de acreditar”, disse a irmã Leidiane Cardoso durante homenagem. O enterro aconteceu neste domingo (25), às 17h30 em Porto Nacional.

A comoção tomou conta dos familiares, amigos e autoridades presentes. Em suas palavras o governador do Estado do Tocantins, Marcelo Miranda, compartilhou sua experiência de vida com a jovem reitora. Elogios não foram poupados quanto à competência técnica e humana de Elizângela como gestora da Universidade. O governador recordou que foi uma das melhores escolhas de seu Governo ter Elizângela Glória Cardoso em sua equipe. Lembrou que como reitora Elizângela trouxe muitas conquistas e mudou a Universidade, tornando-a uma instituição reconhecida e de respeito.

Centenas de pessoas compareceram para se despedir da reitora. No primeiro dia de velório, no auditório da sede administrativa da Unitins, foram prestadas as primeiras homenagens com apresentação de grupo Devocional e palavras de condolências de alunos, docentes, técnicos e gestores. Secretários de Estado, dentre outras autoridades como a primeira dama e deputada federal Dulce Miranda, amiga da reitora, compareceram ao local para prestar as últimas homenagens.

A comoção tomou conta dos corredores da Universidade por volta das 22h30 de sábado (24), hora em que o corpo da reitora chegou ao local. Acompanhada de perto da mãe Ivonete Glória e das irmãs Leidiane e Eliane Cardoso, a reitora foi velada por cerca de duas horas na Universidade. Em seguida, foi levada para sua residência, onde continuaria a ser velada até a tarde de domingo.

Elizângela Glória Cardoso foi lembrada o tempo todo como uma mulher de muita fé. Nas palavras expressadas pelos familiares e amigos próximos, “seu maior orgulho foi ter consagrado uma Universidade a Jesus Cristo”, contou a irmã Leidiane Cardoso, que a acompanhou durante o tratamento hospitalar. “Ela queria testemunhar o milagre de poder voltar bem para vocês, mas como sua comunhão com Deus estava tão íntima a ponto de ela entender que era chegada sua hora, ela me pediu para que eu testemunhasse a sua fé”.

Segundo a irmã, após a descoberta do câncer, a reitora se manteve confiante no tratamento médico todo o tempo e “mesmo quando ouvimos dos médicos que não havia mais o que ser feito, ela não deixou de lutar pela vida e acreditar na cura. Em seu último suspiro ela conseguiu se despedir e ir em paz”, confortou a irmã.

Foto: Divulgação
Amigos e familiares se despediram da jovem reitora.

Entenda

A reitora da Unitins teve um mal-estar no fim do ano de 2016, quando foi submetida a uma cirurgia para retirada de uma massa no intestino. Já em março deste ano, Elizângela Glória Cardoso teve que se afastar de suas funções novamente para nova cirurgia, data em que foi diagnosticada com câncer intestinal. Em seguida, a reitora foi levada para tratamento em hospital especializado em Barretos, São Paulo, aonde veio a falecer após travar uma batalha pela vida durante quase três meses. Aos 36 anos de idade, a reitora deixou pais e três irmãos. (Ascom Unitins)

Foto: Divulgação
Reitora morreu aos 36 anos vítima de câncer

Veja mais…

Reitora da Unitins, Elizângela Glória falece durante tratamento contra câncer em São Paulo

Comentários pelo Facebook: