Seet
Sobral – 300×100

Cooperativa proíbe anestesistas de atuar no mutirão de cirurgias e prejudica 5.547 pessoas; Sesau repudia

Agnaldo Araujo - |
Foto: Washington Luiz
As cirurgias estavam previstas para iniciarem nessa sexta-feira

O mutirão de cirurgias eletivas estava previsto para iniciar na madrugada desta sexta-feira (13), mas a Cooperativa de Anestesistas do Tocantins (COOPANEST) determinou que os profissionais da área não participem do programa.

Inicialmente previstas para serem realizadas nas 18 unidades hospitalares do Estado, as cirurgias iriam ocorrer em dias específicos e fora dos horários rotineiros de trabalho, aos sábados, domingos, feriados e dias de ponto facultativo, para reduzir uma fila de 5.547 pessoas.

Em tom de indignação, o secretário de Estado da Saúde, Marcos Musafir, classificou como absurdo o documento da Cooperativa de Anestesistas vetando a participação dos profissionais.

“Este documento é contrário ao contrato efetivado com a cooperativa, contra a liberdade  do profissional, contraria a ética médica e também prejudica os pacientes. Os anestesistas têm todo o nosso respeito, mas essa atitude individual do presidente da cooperativa traz para dentro dessa discussão uma ação muito ostensiva da Secretaria de Estado da Saúde. Nós queremos fazer o primeiro Mutirão no Brasil de cirurgias durante a madrugada no país e o presidente da cooperativa está impedindo”, argumentou Marcos Musafir.

O secretário da Saúde afirmou que o Governo do Tocantins fez uma representação no Ministério Público Estadual (MPE) e também no Conselho Regional de Medicina (CRM) para reverter a situação. “Estamos denunciando essa agressiva atitude do presidente da Cooperativa de Anestesistas do Tocantins, doutor Mário Sérgio”, disse Marcos Musafir.

De acordo com Secretário de Estado da Saúde, foram suspensas 30 cirurgias nesta sexta-feira em razão da decisão da cooperativa. “Nós estamos aguardando uma resposta e, assim que possível, vamos retomar esse mutirão. Reitero que repudio esse comportamento. É inaceitável essa atitude, cirurgiões e muitos anestesistas querem operar. É importante que a população saiba que nós estamos fazendo a nossa  parte e os anestesistas também, mas encontramos esse obstáculo que é a determinação do presidente da cooperativa”, afirmou o gestor.

Corredor sem pacientes no HGP

O Governo entregou nesta sexta-feira, (13) a Unidade de Tomada de Decisão e a Unidade de Internação Rápida do Hospital Geral de Palmas (HGP), que irão contribuir para mais agilidade e precisão no serviço de Saúde do Tocantins para evitar o alojamento de pacientes nos corredores do hospital, oferecendo dignidade e conforto aos profissionais e principalmente aos pacientes.

Com obras, o Governo conseguiu zerar o número de pacientes nos corredores do HGP, colocando assim fim a esse problema e inaugurando uma nova fase da Saúde do Estado. “Eram 147 pacientes no corredor e 129 na tenda. Hoje, não existe mais tenda e nem pacientes nos corredores, graças à dedicação dos profissionais do HGP, da Secretaria estimulados pelo Governo do Tocantins e o empenho do governador Marcelo Miranda“, concluiu o secretário.

Comentários pelo Facebook: