Sobral – 300×100
Seet

Cooperlota solicita reajuste de 20% da tarifa de ônibus; preço passará de R$ 2,50 para R$ 3

Agnaldo Araujo - |
Fotos: Divulgação
O preço da tarifa passará de R$ 2,50 para 3

A Cooperativa dos Transportadores Autônomos de Passageiros (Cooperlota), responsável pelo transporte urbano coletivo em Araguaína (TO), solicitou junto à Agência Municipal de Transporte e Trânsito (AMTT) reajuste tarifário de 20%. O valor passará de R$ 2,50 para R$ 3. Há cerca de quatro anos a tarifa não é reajustada.

De acordo com o presidente da Cooperlota, José Roberto do Nascimento Lima, o reajuste é para manter o equilíbrio financeiro da cooperativa, que conta com 30 veículos em circulação, contendo ar-condicionado, internet wifi e acessibilidade. “Os valores estão defasados e não estão suprindo as despesas da cooperativa, o que pode provocar a inviabilidade do serviço”, apontou.

Ainda segundo Lima, as receitas arrecadadas estão deixando uma defasagem mensal de cerca de R$ 45 mil. Entre as causas da falta de equilíbrio das contas, o presidente apontou os aumentos do preço do combustível e das despesas operacionais, devido à inflação.

“De janeiro a setembro deste ano, o diesel teve o preço reajustado em 14%. Além disso, as despesas diárias com manutenção do sistema tem sido superior ao esperado, devido às questões inflacionárias do país”, explicou.

Outro fato citado pelo presidente é a obrigatoriedade da isenção da tarifa para aposentados e pacientes em tratamento de saúde, em média 40 mil. Ele ainda cita a grande quantidade de estudantes transportados, que pagam meia passagem, cerca de 30 mil passagens por mês. “Este fato tem onerado muito todo o sistema operacional”, contou.

Tarifa mais baixa do Estado

O presidente da Cooperlota ainda aponta que Araguaína é o único município de grande porte do Estado do Tocantins que cobra tarifa abaixo de R$ 3. “O valor cobrado atualmente não supri as necessidades. Todas as cidades já tiveram reajuste nos últimos anos, apenas Araguaína não”, disse.

Reajuste constitucional

Lima ainda citou que o alinhamento tarifário está previsto na Constituição Federal, artigo 37, inciso XXI, que prevê o equilíbrio econômico-financeiro, refletindo as condições do momento do mercado.

Mais rotas atendidas

Com a cooperativa, nove linhas estão em circulação na cidade, atendendo todos os setores, e outras duas, áreas rurais. “Antes, muitos setores não eram atendidos e os que eram atendidos contavam com menos da metade de veículos. Hoje, atendemos toda a cidade com o dobro de carros em circulação”, finalizou o presidente.

Comentários pelo Facebook: