Seet
Sobral – 300×100

Criança de 5 anos é estuprada em Araguaína; família acusa professor da rede municipal de ensino

Mara Santos - |
Imagem ilustrativa
A menina afirma ter sofrido o abuso na presença de duas coleguinhas

A família de uma criança de cinco anos apresentou denúncia junto à Polícia Civil (PC) contra um professor da rede pública municipal de ensino por suspeita de abuso sexual. O abuso teria sido cometido por um professor da Escola Municipal Domingos Sousa Lemos, localizada no Bairro Jardim das Flores.

Segundo a mãe da criança, na última semana a menina apresentou mudanças comportamentais e passou a se recusar a ir à escola. Após se queixar de dor na região genital, afirmando que teria levado um tombo na escola, a menina teria sido levada pela mãe à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Setor Araguaína Sul, onde foi constatada a lesão na genitália. A menina teria então relatado à médica e à mãe que o professor a teria violentado.

A equipe da UPA acionou o Conselho Tutelar, que acompanhou a menina para a realização de uma outra consulta, no Hospital Regional de Araguaína (HRA). O médico que a atendeu também confirmou que havia lesões na região genital da criança, com infecção, pigmentos de sangue e secreção.

De acordo com a conselheira tutelar Larissa Dias Carneiro, após receber alta hospitalar, foi registrado o Boletim de Ocorrência (BO) e a menina foi encaminhada para exames no Instituto Médico Legal (IML). Já a mãe da criança foi encaminhada para o CREAS para atendimento psicológico.

A criança ainda relatou que duas coleguinhas da escola presenciaram o abuso e contou como aconteceu. “Ele tirou o pipiu dele e botou em mim”, disse a criança. Segundo a conselheira tutelar, as duas crianças deverão depor nos próximos dias. A mãe conta que teria procurado a Direção da escola, mas teriam duvidado de seu relato.

Relato da mãe

“Ela chegou na sexta-feira (08/04) já foi deitando falando que estava com dor de cabeça e dor de barriga. Pensei que fosse só uma virose. Depois, no decorrer da semana, na quarta-feira, ela chegou falando que não queria ir mais pra escola, reclamando de dores no pé da barriga. Eu deixei e continuei trazendo ela da mesma forma. Quando foi no domingo ela falou que estava doendo muito, daí já levei ela na UPA, lá ela contou pra médica que estava doendo a parte íntima“, relatou a mãe.

A menina e a mãe estão recebendo atendimento psicológico. Para não atrapalhar as investigações e devido o caso estar em segredo de justiça, a delegada de Polícia Civil (PC) responsável, Maria Dinesitânia Cunha, não quis comentar o assunto.

Posição da Secretaria de Educação (Semed)

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que o professor já se encontra afastado de suas funções até a conclusão das investigações policiais, além disso informa que foi instaurado Processo Administrativo Disciplinar para apurar os fatos, bem como ouvindo todos os funcionários da unidade. A Semed ressalta ainda que espera que as investigações sejam concluídas com a maior brevidade possível, “e que a verdade sobreponha a quem quer que seja”, finaliza.

Comentários pelo Facebook: