Sobral – 300×100
Seet

Deputado diz que eleitores de Araguaína podem se unir e votar contra ele

Redação - |
Foto: Divulgação AL
Deputado estadual Vilmar Oliveira (SD).

Alguns minutos antes da sessão que vota a verba de R$ 86, 5 milhões para Araguaina, representantes do município e deputados ficaram com os ânimos exaltados na Assembleia Legislativa. Isso porque, parlamentares tentavam articular votos e se negavam a ouvir os argumentos levados pelos representantes araguainenses.

Irredutíveis, os deputados afirmaram, numa reunião que aconteceu na sala da presidência, que não iriam ceder à pressão de vereadores e nem da população. Em contrapartida, os vereadores argumentaram lembrando a quem os parlamentares devem explicação.

“Você teve voto em Araguaína e tem que respeitar o povo araguainense”, disse o vereador Ferrerinha (PMDB) enfrentando o deputado Vilmar de Oliveira (SD).

“Não adianta vir aqui querer dar pressão em deputado”, retrucou VilmarDiante de tal afirmação, Ferreirinha ainda argumentou que a população poderia remanejar seus votos – fazendo alusão ao remanejamento da verba que os deputados fizeram.

Mas, o parlamentar do Estado respondeu com desdém mostrando que não se importa com a opinião do povo: “Manda juntar todo mundo e votar contra eu”, finalizou.

O OUTRO LADO

Em nota, o deputado disse que tem respeito muito grande por Araguaína e seus moradores, por isso defende recursos que garantam a duplicação da TO 222, no trecho que liga Araguaína ao setor Novo Horizonte;

“Prova disso, é que deste projeto de empréstimos no valor total de R$ 573 milhões, estou votando a favor de mais de R$ 113 milhões para Araguaína. São R$ 50 milhões para a Saúde, R$ 12 milhões para o Povoado Mato Verde, R$41 milhões para a duplicação da TO 222, e R$ 10 milhões para o Fórum“, diz a nota.

O parlamentar ressaltou que neste momento de intensas discussões que ocorreram na Casa, ele está representando os 139 municípios tocantinenses, e portanto defendendo uma distribuição justa para que nenhum município fique prejudicado.

Comentários pelo Facebook: