Seet
Sobral – 300×100

Peixes morrem devido a líquido jogado no rio Lontra em Araguaína; moradores denunciam descaso

Agnaldo Araujo - |
Fotos: Vivian Nunes
Cano que joga esgoto no Rio Lontra

Agnaldo Araujo // AF Notícias

Dezenas de peixes estão morrendo no rio Lontra em Araguaína (TO), possivelmente em decorrência de esgotos jogados no curso d’água. De acordo uma denúncia, desde a última quinta-feira (14/07), dezenas de peixes como piaba, lampreia, cará, cari, arraia e poraquê já morreram.

De acordo com Vivian Nunes, filha de uma moradora das margens do Rio, está sendo jogado um líquido que ela acredita deixar a água com cor de ferrugem. Conforme Vivian, na última sexta-feira (15/07), a cena se repetiu. “A catinga é horrível”, acrescentou.

Muitos dos peixes são encontrados nas margens do rio na luta pela sobrevivência e em busca de oxigênio.

A moradora relatou que já acionou a Polícia Militar Ambiental (CIPAMA), mas foi informada que a solicitação não poderia ser atendida, pois só há uma equipe de plantão que estaria atuando nas praias.

Vivian contou ainda que chegou a acionar o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), mas foi informada de que não poderia ser atendida porque o pessoal responsável estaria atendendo outra denúncia.

A moradora contou que há cinco anos vem lutando na tentativa de acabar com os esgotos que são jogados dentro do Rio Lontra. “Nós lutamos desde 2010 para acabar com esse esgoto da Saneatins. Já denunciamos ao Ministério Público, só que até agora nada foi feito”, lamentou Vivian.

Nota Naturatins

O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) informou, por meio de nota, que de fato houve a denúncia e, segundo o instituto, imediatamente um técnico do Escritório Regional do órgão se dirigiu ao local. “O Instituto já está tomando as providências necessárias e elaborando um parecer técnico sobre o assunto“, disse.

A nota informou ainda que assim que for concluído o estudo será divulgado o resultado para efeitos de esclarecimentos sobre o caso. “Informamos ainda que, casos como este, necessitam de um prazo para averiguação de muitos fatores”, finalizou.

Comentários pelo Facebook: