Seet
Sobral – 300×100

Dilma diz que renuncia se parlamentares aceitarem novas eleições em 2016; Halum aceita desafio

Agnaldo Araujo - | - 905 views
Foto: Divulgação
Halum disse que aceitaria a concorrer nova eleição pela renúncia de Dilma

Em entrevista à imprensa nesta terça-feira (05/04), a presidente Dilma Rousseff fez uma provocação em relação à possibilidade de realizar novas eleições presidenciais em 2016. Dilma disse que não rechaça e nem aceita a iniciativa, mas ressaltou que só discutirá a renúncia do mandato quando tanto a “Câmara dos Deputados como o Senado aceitarem também participar de um processo eleitoral antecipado”.

“Convence a Câmara e o Senado de abrirem mão de seus mandatos. Aí, vem conversar comigo”, disse Dilma.

 Desafio

O deputado federal César Halum (PRB-TO) já se manifestou publicamente sobre a fala da presidente Dilma e aceitou o desafio. Em vídeo divulgado em redes sociais, o republicano afirmou que aceita encerrar seu mandato de deputado federal e se submeter ao “crivo da população, com novas eleições”, desde que a presidente renuncie.

“A presidente está achincalhando novamente os brasileiros. Meu mandato não está sendo questionado por nenhuma irregularidade, mas eu aceito o seu desafio”, disse.

No vídeo, o Halum diz também que o mandato dele não está sendo questionado pelo povo brasileiro como o de Dilma, mas mesmo assim aceita o desafio. “Eu aceito disputar novamente as eleições, passar pelo crivo do povo em troca de sua renúncia. Eu aceito o seu desafio”, finalizo o deputado.

A possibilidade de novas eleições foi levantada nesta terça-feira também pela Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva. A presidenciável lidera pesquisa Datafolha de intenções de votos à presidência para 2018, tendo entre 21% e 24% das intenções.

Renúncia em troca de novas eleições

Em editorial, o jornal britânico “The Guardian” defendeu que, se Dilma Rousseff não conseguir restaurar a calma no Brasil, a presidente deveria convocar novas eleições ou renunciar. Para a publicação “uma das preocupações óbvias é que esses protestos, se não controlados, podem resultar em violência generalizada com risco de intervenção militar”.

Confira o vídeo

Comentários pelo Facebook: