Sobral – 300×100
Seet

Dimas afirma que Governo não toma “nenhuma ação firme” e pede auxílio à Força Nacional de Segurança

Redação AF - |
Foto: João Neto
Manifestantes na Cônego João Lima, na tarde da última terça, 19

Diante do agravamento da crise na segurança pública em Araguaína (TO), o prefeito Ronaldo Dimas (PR) apelou para o Ministério da Justiça através de um ofício encaminhado ao ministro Alexandre de Morais, nesta terça-feira (19/07). Entre outras coisas, Dimas pediu a disponibilização de reforço policial da Força Nacional de Segurança pelo prazo mínimo de 90 dias.

Números da criminalidade

O prefeito cita no documento que em menos de 30 dias, ocorreram 4 latrocínios, sendo que 2 comerciantes foram mortos em seus locais de trabalho. Desde o início de 2016 foram registrados 54 homicídios e a onda de assaltos com ações violentas por parte de bandidos vem se intensificando. Neste ano já são 3.519 ocorrências.

Mortes de comerciantes e agente de trânsito

Já no último dia 18/07, mais um crime bárbaro aconteceu na cidade, na mais importante e movimentada via comercial, a Avenida Cônego João Lima. Uma das maiores lojas da cidade – a Liliani – foi assaltada e o gerente assassinado, sem nenhuma reação, apenas por ocupar o cargo.

Como se não bastasse, relata Dimas, no último dia 27 de maio, um Agente Municipal de Transportes e Trânsito foi baleado em serviço e veio a óbito em decorrência do disparo de arma de fogo portada por um suposto taxista clandestino. Além disso, são frequentes tentativas de fugas da Casa de Prisão Provisória de Araguaína e do Presídio Barra da Grota. Na última semana 9 presos conseguiram fugir da CPPA.

Arrastões em postos de saúde e escolas

Até mesmo os logradouros públicos como escolas, hospitais, unidades básicas de saúde vem sendo alvo das ações dos bandidos armados, os quais além de roubarem os pertences dos pacientes, acompanhantes, médicos e enfermeiros, ainda causam pânico em toda a comunidade. No início do mês de junho, o Colégio Estadual Jardim Paulista foi atacado por bandidos que praticaram um ‘arrastão’ e balearam um aluno durante a ação criminosa.

Crítica ao governo do Estado: “Nenhuma ação firme é tomada”

“Nenhuma ação firme é tomada pelo Governo do Estado que permanece inerte, como se nada sério estivesse acontecendo. O máximo que tem tomado de atitude é enviar, raramente e por curtíssimo período, força tática especial. Apesar dos esforços dos escassos policiais militares, somente percebemos do Governo do Estado promessas e mais promessas sem solução efetiva. Não há nenhum serviço de vídeo-monitoramento que possa auxiliar as Polícias Civil e Militar no combate aos marginais”, afirma Ronaldo Dimas.

Proximidade de Araguaína com outros Estados

Com aproximadamente 180.000 habitantes, Araguaína é a maior cidade do interior do Estado do Tocantins. Sua posição geográfica privilegiada proporciona fácil acessos aos estados vizinhos: Pará, Maranhão e Piauí. Em um raio de 300 km, aproximadamente 2.000.000 de pessoas vivem na nossa região de abrangência. Cidades populosas como Marabá, Parauapebas, Conceição do Araguaia, Rio Maria, Xinguara e Redenção no Pará, Imperatriz, Açailândia, Carolina, Riachão e Balsas no Estado do Maranhão, e Guaraí, Colinas, Araguatins no Tocantins tem estreita relação com Araguaína nas mais diversas áreas: comércio, serviços, agronegócio, educação e saúde.

“Nossa força econômica não é atrativa somente para empreendedores sérios. A crise pela qual passa o país tem provocado uma migração relativamente grande de pessoas que buscam novas oportunidades em cidades promissoras e prósperas e também algumas outras que veem aqui para cometer delitos”, relatou Ronaldo Dimas.

O prefeito afirma ainda que os recursos técnicos e materiais são praticamente inexistentes. “Pouquíssimas viaturas fazem a ronda pela cidade”, acrescentou.

Dimas finaliza: “Assim, podemos dizer que está se instalando o caos na segurança pública em nossa cidade e, porque não dizer, no Estado. A cada dia vivenciamos um cenário cada vez pior. A população está amedrontada e os comerciantes em pânico”, lamenta o prefeito.

Pedidos

Além do reforço da Força Nacional de Segurança, Dimas solicitou ao Ministério da Justiça a priorização na aprovação, empenho e liberação dos valores do Projeto de implantação do Sistema de Vídeo-Monitoramento no valor de mais de R$ 5 milhões, tendo cerca de R$ 100 mil de contrapartida do Município.

Comentários pelo Facebook: