Seet
Sobral – 300×100

Dimas cumpre agenda em Brasília em busca recursos de programas sociais, infraestrutura e habitação

Redação AF -
Foto/Crédito: Thatiane Cunha
Com agenda em Brasília nessa quarta e quinta-feira, o prefeito solicitará a liberação de recursos em atraso pelo Governo Federal e disponibilização de novos investimentos

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, cumpre agenda em Brasília nesta quarta e quinta-feira, dias 16 e 17, na busca de recursos para programas sociais, infraestrutura e habitação. Dimas terá audiência nos ministérios do Desenvolvimento Social e Agrário, das Cidades e no Palácio do Planalto.

Na manhã de quarta, o prefeito visitou, juntamente com os secretários municipais da Assistência Social, Trabalho e Habitação, José da Guia, e de Gestão e Captação de Recursos, Júlio Sampaio, a Secretaria Nacional de Assistência Social para buscar a liberação de recursos do Fundo Nacional que estão em atraso. Esses recursos são essenciais para manutenção de programas sociais e viabilizam o planejamento para cursos de geração de renda para o próximo ano.

“Nossa preocupação é ter recursos para manter os programas. Não dá para o Município arcar com as despesas e investimentos necessários sem que o Governo Federal mantenha sua parte. Não atendemos apenas Araguaína, mas pessoas de todo o Estado e de estados vizinhos”, apontou Dimas.

De acordo com a diretora do Fundo Nacional, Dulcelena Alves Vaz Martins, o Município está cumprindo com todos os programas e o Ministério garante que os pagamentos serão regularizados.  “Estamos na luta para tentar pagar o máximo possível, mas dependemos do Tesouro. Estamos fazendo um grande esforço. A situação de Araguaína é especial e estamos batalhando para melhorar os valores dos repasses e regularizar os próximos”.  

Novos serviços

O secretário José da Guia lembrou ainda à diretora sobre a não-implantação de serviços que o Município tem de oferecer à população. “A cidade precisa de mais investimentos em diversas áreas para implantação de novos serviços, mas sem os repasses do Governo Federal não poderemos manter nem os programas já existentes”.

Coparticipação do Estado

Segundo a diretora, o papel dos estados também é fundamental para a manutenção dos programas. “Cerca de 16 estados ajudam os municípios com a coparticipação nos projetos sociais desenvolvidos. O Estado pode ajudar muito para que as ações continuem com efetividade”. 

Em Araguaína, o Governo do Tocantins tem coparticipação em programas sociais apenas no Centro Dia da Pessoa com Deficiência, no qual deve R$ 520 mil de repasses atrasados desde 2014. (Thatiane Cunha/Ascom)

Comentários pelo Facebook: