Dimas recebe pressão de aliados após Marcus Marcelo dizer que é ‘contra renúncia’

Redação AF - |
Foto: Fernanda Alcântara
Ronaldo Dimas, Elenil da Penha e Marcus Marcelo

Depois da polêmica declaração de Marcus Marcelo (PR), presidente da Câmara de Araguaína, que se posicionou contra a renúncia de Ronaldo Dimas (PR) para disputar a eleição deste ano ao Governo do Tocantins, o pré-candidato vem recebendo pressão de todas as direções. E não seria pra menos, já que Marcus é um aliado de primeira hora do prefeito e a ‘opinião pessoal’ dele foi entendida por muitos como um recado do próprio Dimas. Por isso, caiu como uma bomba no meio político e teria esfriado a pré-campanha do republicano. Dimas assegura, contudo, que se mantém focado.

A Coluna Antena Ligada, do Jornal do Tocantins, disse que entre os pré-candidatos ao Governo, Dimas parece estar sofrendo a pressão mais pesada. De um lado, aliados na Câmara Municipal, secretários e assessores defendem que ele não deixe o cargo de prefeito para concorrer numa eleição de Governo, que promete ser uma das mais disputadas da história do Tocantins.

Por outro, aliados de peso e força como o senador Vicentinho Alves, presidente regional do PR, e a família Siqueira Campos, encorajam Dimas a entrar na disputa. Para eles, esse é o momento certo.

Aliás, coragem de ser candidato foi o termo usado pelo deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM) em discurso feito na Assembleia quando anunciou que ele e seu pai, ex-governador Siqueira Campos (DEM), apoiariam a pré-candidatura de Dimas. “Se Dimas tiver coragem de deixar a prefeitura e disputar a eleição…”, falou Eduardo.

Ainda conforme a Antena Ligada, Ronaldo também sofre pressão do amigo e aliado Eduardo Gomes, ex-deputado federal e vice-presidente nacional do SD. Gomes não esconde seu interesse em disputar uma das duas vagas ao Senado Federal na eleição deste ano. Mas mesmo num cenário em que a candidatura de Gomes seria quase improvável, já que Siqueira e Vicentinho teriam as maiores chances de compor a chapa de Dimas na disputa ao Senado, o ex-deputado é um dos maiores incentivadores da candidatura do republicano.

Hoje Dimas já teria um grupo partidário forte para formar uma aliança, líderes políticos de peso ao seu lado e estrutura eleitoral para concorrer à eleição. Condição mais que favorável para uma disputa.

Se a declaração de Marcus Marcelo deixou o clima tenso entre os aliados pró-candidatura de Dimas, quem adorou foi o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), também pré-candidato. Ele inclusive já sonha com o apoio de Dimas, assim como a senadora Kátia Abreu (sem partido) e o próprio governador Marcelo Miranda (MDB). As próximas semanas prometem intensas movimentações.

De qualquer forma, já estamos em contagem regressiva para a decisão final sobre a renúncia ou não, que deve ocorrer até 7 de abril.

VEJA MAIS…

Marcus Marcelo é contra renúncia de Dimas para disputar Governo do Tocantins

Comentários pelo Facebook: