Seet
Sobral – 300×100

Dois morrem em confronto e quatro são presos suspeitos de participação na morte de PM

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação/Facebook
Os dois suspeitos foram mortos durante confronto com a polícia

Márcia Costa//AF Notícias

Dois suspeitos de participação no latrocínio do policial militar Milton Caetano da Silva morreram em confronto com a polícia na madrugada de domingo (02/04), em Palmas. A ação ainda resultou na prisão de outros três suspeitos e na apreensão de dois adolescentes, além de armas.

Participaram da operação agentes da Força Tática, Rotam, Polícia Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal.

A operação tinha o intuito de localizar os responsáveis pela morte do subtenente Milton Caetano, na manhã de sábado (01/04), em frente a sua residência, na capital. Os criminosos armados, além de atirar o policial, ainda agrediram sua esposa e levaram o carro do casal.

Segundo informações, cinco bandidos teriam participado do assalto: o mandante, dois executores e mais dois que deram apoio em um veículo. A casa onde o policial morava já tinha sido assaltada outras vezes, pois o ex-morador vendia joias. A polícia trabalha com a hipótese de que os bandidos estivessem atrás dos objetos de valores.

A polícia teria conseguido identificar os participantes do latrocínio após a prisão de um dos envolvidos. Para despistar a polícia, o carro do policial foi abandonado em Taquaruçu, distrito de Palmas, e foi encontrado por populares. Os dois homens mortos ainda não tiveram a identidade revelada.

Na manhã de domingo (02/04), o corpo do subtenente foi levado para o Aeroporto de Palmas. Ele vai ser enterrado em Pernambuco.

O crime

O policial estava saindo de sua casa quando foi abordado pelos bandidos. Ele foi atingido com tiros na região do tórax. A esposa dele também foi agredida ao tentar proteger a filha do casal.

Segundo amigos do policial, ele era um homem evangélico, humilde e trabalhava como instrutor de música no Colégio Militar em Palmas.

Comentários pelo Facebook: