Sobral – 300×100
Seet

Dor na coluna pode ser tratada com exercícios de boa respiração, concentração e exercícios físicos

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Dor na coluna pode ser tratada com método não cirúrgico

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma grande parte da população sofre com dores na coluna. Geralmente, a dor pode estar relacionada com a postura incorreta, inflamação ou distensão muscular, hérnia de disco e degeneração discal, entre outros fatores.

É importante ressaltar que há métodos de tratamento alternativos para as dores na coluna, o que descarta o método cirúrgico, além de também agir como forma de prevenir o surgimento dessas dores. Um dos exercícios que tem se destacado como um forte aliado, tanto para a dor aguda ou crônica na coluna vertebral, é o pilates. A atividade exige uma boa respiração, concentração, centralização de força, precisão e fluidez dos movimentos.

Segundo a fisioterapeuta do Instituto Pilates e ITC Vertebral, Ohara Rezende, o pilates contribui de forma assertiva para a preservação não somente das dores na coluna, mas de todo um corpo saudável, aumentando o condicionamento físico e até mesmo a autoestima do paciente.

“Esse método de exercício tem movimentos livres e adaptados para cada paciente, trabalhando o treinamento de músculos profundos, que variam com posicionamentos de menor compreensão articular até os movimentos funcionais, obtendo resultados em curtos prazos”, explicou a fisioterapeuta.

A escrivã Aurea Maria, que sofreu muitos anos com dores na coluna, descobriu depois de passar por diversos médicos que a solução para o incomodo que sentia estava nas terapias não agressivas. “Esse é um tratamento não-invasivo que me garantiu resultados eficazes, além de fortalecimento muscular. É importante praticar exercícios físicos, aliados a um tratamento fisioterapêutico”, afirmou a paciente.

Ainda conforme a fisioterapeuta, é necessário entender cada caso de forma individual, para decidir qual melhor técnica. “Tudo depende dos sinais e sintomas do paciente. Para cada tipo de dor e para cada tipo de lesão existe um caminho e uma técnica a ser seguida”, finalizou Ohara Rezende.

Comentários pelo Facebook: