Seet
Sobral – 300×100

Doria é investigado por viajar ao Tocantins para fazer ‘campanha política’ em horário de trabalho

Agnaldo Araujo - |
Foto: Carlos Amastha/Faceboook
Doria sendo recebido em Palmas pelo prefeito Carlos Amastha

O Ministério Público de São Paulo decidiu abrir investigação contra o prefeito da cidade, João Doria (PSDB), para apurar diversas viagens durante o horário de trabalho. Uma delas foi ao Tocantins no mês de agosto, onde o líder político foi recebido com faixas com os dizeres ‘Tocantins quer Doria presidente’.

A investigação foi aberta pela Promotoria do Patrimônio Público e Social da capital, a pedido da Procuradoria-Geral de Justiça, a partir de uma representação feita pelo diretório municipal do PT, Paulo Fiorilo.

Ele afirma que as viagens foram ‘feitas em horário de trabalho para fazer campanha política’. Uma das linhas da investigação é apurar justamente se há recursos públicos no custeio das viagens.

“Tais viagens teriam como objeto sua promoção pessoal e poderiam ter gerado custo ao erário, especialmente em virtude do uso de estruturas da Prefeitura, deslocamento ao aeroporto, agendamento de reuniões, bem ainda funcionários e servidores estariam sendo pagos pelo erário no acompanhamento dessa empreitada, rumo às eleições de 2018″, diz o texto da portaria de abertura do procedimento preparatório do inquérito civil.

Além do Tocantins, Doria esteve em Curitiba, Salvador, Natal, Fortaleza e Recife. O MPE-SP sustenta que ‘todas estas viagens tiveram como ingrediente principal tornar o prefeito mais conhecido, principalmente na região do Nordeste’.

“A Prefeitura de São Paulo responderá em breve os questionamentos do Ministério Público para comprovar a

Comentários pelo Facebook: