Edimar Leandro busca apoio para implantar Casa da Mulher Brasileira em Araguaína

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Casa da Mulher Brasileira

Márcia Costa//AF Notícias 

O vereador de Araguaína, Edimar Leandro (PRP) encaminhou indicação às deputadas federais Dulce Miranda (PMDB), Josi Nunes (PMDB) e Professora Dorinha (DEM) solicitando a destinação de emendas parlamentares para implantação da Casa da Mulher Brasileira em Araguaína.

A casa visa garantir que todas as mulheres vítimas de qualquer tipo de violência sejam atendidas de forma adequada por uma equipe especializada. Edimar Leandro também apresentará requerimento destinado ao prefeito Ronaldo Dimas (PR).

O vereador disse que já obteve retorno da deputada Josi Nunes e explicará pessoalmente a realidade do município. Ele aguarda ainda manifestação por parte da primeira-dama Dulce Miranda e da deputada Professora Dorinha.

Foto: Divulgação
Vereador Edimar Leandro

É um projeto federal que já existe em várias cidades e será muito útil em Araguaína. Mas para que a Casa exista, é necessário a destinação de emendas. Espero que as demais deputadas do Tocantins deem retorno. Quem ganha com isso são todas as mulheres”, afirmou o vereador.

O projeto do governo federal conta com uma Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) e uma unidade da Polícia Civil para ações de prevenção, proteção e investigação dos crimes de violência doméstica e sexual, entre outros.

“Muitas mulheres têm medo de denunciar que estão sendo vítimas de violência. A Casa será uma das ‘portas de saída’ para essa situação. As mulheres sem condições financeiras serão incluídas em programas de assistência e de inclusão social dos governos federal, estadual e municipal”, disse Edimar Leandro.

Ainda conforme o vereador, a Casa da Mulher Brasileira em Araguaína será referência no atendimento humanizado às mulheres, com serviços especializados destinados ao acolhimento e triagem, apoio psicossocial, delegacia, ajuizado, Ministério Público, Defensoria Pública e promoção de autonomia econômica. “Será um espaço no qual as mulheres terão acesso a informação“, concluiu.

Comentários pelo Facebook: