Sobral – 300×100
Seet

Eduardo Cunha quer agilidade na publicação da decisão sobre rito do impeachment de Dilma

Redação AF -
Foto: Divulgação
Cunha e Lewandowski se reúnem nesta quarta, 23

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PSDB), se reúne nesta quarta-feira (23) com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, para pedir celeridade na publicação da decisão sobre o rito do impeachment. O encontro será às 14 horas, na sede do STF.

Esclarecimentos
Cunha quer mais esclarecimentos sobre a decisão do Supremo, na semana passada, que anulou a eleição da comissão especial da Câmara que vai analisar o pedido de impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff.

Ele já adiantou que, independentemente de uma publicação antecipada do acórdão do Supremo, na primeira semana de fevereiro entrará com embargo de declaração – instrumento previsto no Regimento Interno do Supremo para as partes pedirem esclarecimentos sobre a decisão tomada pelos ministros.

Uma das dúvidas levantadas por Eduardo Cunha é quanto à possibilidade de a Câmara rejeitar a chapa com os nomes indicados pelas lideranças partidárias para a comissão especial do impeachment.

Outro ponto é a eleição de presidente e relator da comissão especial que analisará o pedido: ela será secreta ou aberta; será com chapa ou não?

Sem esses pontos esclarecidos, Cunha ressaltou que a Câmara não conseguirá seguir com a tramitação do pedido de impeachment.

Para Cunha, seria melhor que o Supremo esclarecesse as dúvidas para a Casa atuar dentro do que foi decidido. “Tudo tem de ficar claro, senão é adiar um dia e voltar tudo para o Supremo”, disse, referindo-se à possibilidade de a chapa da comissão especial do impeachment não obter o voto da maioria do Plenário.

Posição do governo
O líder do governo, deputado José Guimarães (CE), anunciou que a base aliada não vai embargar a decisão do Supremo. “Quem é vitorioso não vai embargar. A decisão do Supremo garante a lisura do processo, e a oposição está armando manobras internas”, afirmou, referindo-se ao projeto de resolução.

Para Guimarães, é hora de o País retomar o crescimento, com o apoio às medidas que serão propostas pelo novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa.

Fonte: Câmara Notícias

Comentários pelo Facebook: