Seet
Sobral – 300×100

Eduardo denuncia que mais de 300 militares estão cedidos e diz que Amastha dá “banho de gestão” em Marcelo

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Deputado Eduardo Siqueira Campos e governador Marcelo Miranda

Mais de 300 policiais militares estão cedidos a outros órgãos do Governo do Estado, e outros Poderes, enquanto há cidades que não tem nenhum PM. A denúncia foi feita pelo deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (PTB) em pronunciamento nesta quinta-feira (03/03) na Assembleia Legislativa.

O parlamentar disse que já se passaram 30 dias da aprovação de seu requerimento que cobra informações sobre o número de policiais militares cedidos a outros órgãos e em desvio de função, mas ainda não obteve resposta do Comando Geral da Polícia Militar. “Não adianta apresentar requerimento de informação, pois não vai vir resposta”, protestou o deputado.

Eduardo afirmou que atualmente mais de 300 policiais estão cedidos e pediu que o Comando Geral convoque esses militares para retornarem ao trabalho. “Qual o verdadeiro papel da corporação?  Convoque-os Comandante Geral e traga de volta todos os policiais”, frisou.

O deputado disse que não importa se os policiais estão na Assembleia Legislativa, Ministério Público ou Tribunal de Contas. Segundo ele, cada órgão deveria contratar seguranças com seu próprio orçamento. “Somente no Detran existem mais de 30 policiais realizando serviços administrativos. Logo no Detran, órgão arrecadador, que possui muitos recursos”, disse.

Calamidade

Ao relembrar a aprovação de requerimentos pela Assembleia Legislativa, que pedem a decretação de Estado de Calamidade Pública em virtude da estiagem que tem prejudicado as lavouras, Eduardo Siqueira relatou que a “Calamidade” pela qual passa o Estado é outra. “Hoje não sabemos o número de escolas que não estão tendo aula porque a luz está cortada, pois o Governo não pagou a conta”, frisou.

Eduardo Siqueira destacou ainda a interrupção do transporte escolar também por não pagamento e falta de materiais de trabalho aos servidores da Saúde. “Essa semana o Secretário da Administração foi agredido, ato que condeno, mas por pouco o Secretário de Saúde escapou de apanhar também ao visitar o HGP”, e complementou. “Agressão a Secretário não tem apoio, como também não tem apoio a falta de diálogo com as categorias”, reforçou.

Governo não se reúne com secretários

Eduardo afirmou também que o Governador não recebe e não despacha com seus secretários, o que faz com que o Estado fique com suas ações paralisadas e provoque situações como o corte de energia nas escolas. “O Governador não lê o que se publica no Diário Oficial. Governador mande ligar a luz nas escolas, não deixe o Estado ser notícia por falta de luz, de transporte escolar, por falta de luvas na Saúde. Senão secretários vão apanhar em cada visita que fizerem. Governar é eleger prioridade, é exercer autoridade”, discursou.

“Enquanto o Governador viaja para encontros em outros Estados que não resolvem o problema da população, os pacientes sofrem com a falta de hemodiálise e quimioterapia nos hospitais”, comparou.

Amastha dá um banho em termos de gestão em Marcelo

Eduardo Siqueira afirmou que o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), “em termos de gestão”, dá um banho no Governador do Estado. “Ele não se omite e não foge do debate com a população”, comparou ao dizer também que não pretende ser candidato a prefeito da Capital.

Igeprev

Por fim, o Parlamentar disse que apresentou ao Judiciário sua defesa nas ações que responde no caso Igeprev. O Deputado reafirmou que à época não foi ouvido, não assinou e não foi consultado em relação às aplicações que são questionadas judicialmente. “Tenho uma vida de 57 anos nesse Estado, tenho  filho que nasceu aqui e tem filho enterrado aqui. Passei pelo Senado e pela Câmara dos Deputados de cabeça erguida e nunca fui condenado em nenhuma ação”, afirmou .

Comentários pelo Facebook: