Sobral – 300×100
Seet

Elaboração do projeto arquitetônico do Parque Tecnológico do Tocantins custará cerca de R$ 800 mil

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Governador e presidente da Agetec estiveram no Ministério da Ciência e Tecnologia buscando apoio para o Parque Tecnológico.

Recursos da ordem de R$ 800 mil já estão disponíveis para elaboração da primeira fase do projeto executivo do Parque Tecnológico do Tocantins, previsto para iniciar em 2016.  Do total, R$ 600 mil são provenientes do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação e mais R$ 200 mil de contrapartida do governo do Estado.

Os recursos já foram depositados na conta da Universidade Federal do Tocantins (UFT), estão sendo acompanhados pela Agência Tocantinense de Ciência e Tecnologia e serão executados pela Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (FAPTO).  A alocação dos recursos garantirá a execução do projeto arquitetônico e estrutural do prédio, a exemplo de projeto de área administrativa, Centro de Inovação Tecnológica, projeto elétrico e hidráulico, dentre outros.

Segundo o Governo, esses recursos são frutos de uma visita realizada, no primeiro semestre de 2015, pelo governador Marcelo Miranda e o presidente da Agetec, George Brito, junto ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

“Após a conclusão do projeto executivo do Parque Tecnológico, estamos viabilizando a inclusão do projeto para obtenção de recursos junto ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC3) como forma de garantir o andamento de construção da parte física da obra”, explicou George Brito.

Em 2012, o Conselho de Desenvolvimento Econômico do Tocantins aprovou a liberação de recursos destinados à contratação da Fundação CERTI (Fundação Centro de Tecnologias Inovadoras), uma das fundações mais conceituadas do Brasil na implantação e gestão de parques tecnológicos, para realizar um estudo de viabilidade e consultoria para implantação do projeto no Estado.

O Parque será implantado em uma área de 321.700 próximo a Universidade Federal do Tocantins (UFT) e ao novo prédio da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins). A área é integrada também ao setor empresarial visto que está localizada no anel viário que liga a ponte a TO-080, rodovia que dá acesso a dois dos distritos industriais de Palmas: o Tocantins I – ASRNE 55 e o Tocantins II – ASRNE 65.

Parque Tecnológico

O conceito de Parque Tecnológico reúne em um único ambiente estrutura e apoio institucional necessários para que empresários e pesquisadores de diversas áreas construam juntos projetos e produtos inovadores para governos e empresas. A atuação de um parque tecnológico tem duas frentes: criação de novas empresas através do conhecimento dos pesquisadores de universidades e institutos de pesquisas e atração de empresas que se instalam no parque em busca de desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social.

Comentários pelo Facebook: