Empresa de fertilizantes vai investir R$ 15 milhões em Araguaína e gerar cerca de 450 empregos

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Reunião ocorrida no Palácio Araguaia

A empresa Polli Fertilizantes Especiais irá instalar duas fábricas em Araguaína, norte do Tocantins, com investimentos de 12 a 15 milhões de reais. Os empreendimentos vão gerar 50 empregos diretos e entre 350 a 400 de forma indireta.

O diretor executivo da empresa, Luiz Osni Miranda, apresentou o projeto ao governador Mauro Carlesse (PHS) durante uma reunião realizada nesta quarta-feira (25), no Palácio Araguaia. Segundo ele, a instalação das fábricas deve iniciar ainda este ano.

Acompanhado pelo prefeito Ronaldo Dimas, o empresário ouviu do governador o interesse em atrair indústrias para o Estado. “Nosso interesse não é só pela renda, mas principalmente pelos empregos gerados. O Tocantins é um Estado em expansão agrícola e que tem logística pronta para atender os investidores. Esse é o resultado de nossa política de atração de empresas”, disse.

O diretor executivo afirmou na ocasião que a empresa trabalha com produtos inteligentes. “Na verdade serão duas fábricas de granulação trabalhando com a linha de solo estruturado e uma linha especial de fertilizantes de nitrogênio, fósforo e potássio. Nós trabalhamos com produtos inteligentes que servem para fazer a correção do solo”, contou.

Conforme o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura, Dearley Kühn, o Governo do Tocantins segue trabalhando para atrair novos investimentos para o Estado. “Nossa legislação, por meio do Pró-Indústria, dá incentivos fiscais para que as indústrias se espalhem pelo Estado e nós estamos procurando desburocratizar ao máximo para os empresários virem investir no Tocantins”, disse.

Para o secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Dourado, o novo fertilizante terá papel importante na correção do solo para produção em grande escala. “Seja na agricultura ou na pecuária, é um produto de alta tecnologia que vai potencializar a correção solo que hoje é feita pelo calcário”, afirmou.

Comentários pelo Facebook: