Sobral – 300×100
Seet

Empresa que opera Ferrovia Norte-Sul no Tocantins quer benefícios fiscais para ampliar investimentos

Redação AF -
Foto: Divulgação
VLI quer incentivos fiscais para aumentar investimentos no Tocantins.

O Governo do Estado e a VLI, empresa detentora da subconcessão operacional da Ferrovia Norte-Sul – especializada em operações logísticas que integram ferrovias, portos e terminais, estão discutindo a possibilidade de ampliação de investimentos da empresa no Estado. Uma reunião foi realizada nessa quarta-feira, 27, na sede da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura, em Palmas.

A expectativa, em principio, é que, com o aumento dos investimentos, mais empregos sejam gerados, aumentando a renda e melhorando a arrecadação no Tocantins. Com isso, o Estado poderia conceder à VLI benefícios fiscais que propiciem a ampliação dos investimentos, gerando um circulo virtuoso, no qual todos ganham.  “Nosso objetivo é apoiar também grandes empresas, como a VLI, para que sejam bem sucedidas no Estado, pois assim a sociedade e o próprio Estado ganham, com mais empregos e mais recursos para o Tesouro”, reforçou durante a reunião o superintende de Desenvolvimento Econômico, Vilmar Carneiro.

Outro ponto levantado foi como a empresa poderia priorizar fornecedores e prestadores de serviços locais. De acordo com o diretor de Desenvolvimento Econômico, Eremilson Leite, comprar de empreendedores locais pode significar diminuição de custos. “Grandes empresas são consumidores importantes, por isso, nosso papel é fazer uma ponte entre elas e os empresários locais”. Um dos motivos destacados para a dificuldade de comprar localmente é que muitos empresários têm pouca experiência em negociar com relações contratuais e grandes empresas.

De acordo com Leonardo Paiva, gerente de Terminais Norte e Siderurgia da VLI, atualmente a empresa opera os pátios de Palmeirante e de Porto Nacional, que contam com investimento de R$ 200 milhões e que geram, cada, cerca de 300 empregos diretos e indiretos.  “A nossa expectativa é de consolidar os investimentos existentes. A gente começa a operação dos terminais, com perspectiva de crescimento de volume nos próximos anos. A partir do momento em que a gente ampliar a nossa capacidade a própria ferrovia vai necessitar de investimentos em ampliação e construção de novos pátios que vão demandar outros empreendimentos”, pontua.

A expectativa de crescimento no volume de cargas a serem transportadas pela Ferrovia Norte-Sul está relacionada ao desenvolvimento da região agrícola, da qual o Tocantins faz parte, conhecida como Matopiba (formado também por regiões dos estados do Maranhão, Piauí e Bahia). “O Estado precisa se preparar para o crescimento exponencial na produção dessa região que vai demandar muito mais o uso dos modais de transporte do Estado”, conclui Vilmar Carneiro.

Comentários pelo Facebook: