Sobral – 300×100
Seet

Energisa diz que ‘estiagem e bandeira vermelha’ aumentaram preço da energia; novo aumento já está em vigor

Redação AF -
Foto: Divulgação
Conta de luz

O período da estiagem e bandeira vermelha foram as razões apontadas pela Energisa para justificar o incompreensível aumento no preço da energia elétrica no Estado do Tocantins. A empresa se manifestou após o deputado federal César Halum solicitar à Aneel que enviei técnicos para fiscalizar o aumento abusivo. O povo está revoltado com aumentos que ultrapassam 100% em muitos casos. Um novo aumento entrou em vigor hoje, 4 de julho.

Segundo a Energisa, impactou no valor final pago pelos clientes, nos últimos meses, a chegada do período de estiagem. “A chegada do calor afeta diretamente a variação do consumo de energia por causa do uso prolongado de aparelhos de refrigeração como condicionadores de ar, geladeiras, bebedouros, freezers e ventiladores”, disse.

Ainda segundo a empresa, aliada a essas questões, em maio vigorou a bandeira tarifária vermelha (patamar 1), com custo de R$ 3,00 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos, outro fator que também impactou no valor total da fatura.

A Energisa afirmou que [apenas] o mês de abril foi atípico e levou à redução da tarifa, de forma pontural, em 9,85%. Isso ocorreu em função da revisão de valores pagos a mais pelo consumidor no ano passado relativo à geração de energia da usina de Angra 3, em movimento determinado pela agência reguladora do setor. Em função disso, os outros meses não devem ser comparados a abril.

A nota diz que a empresa está à disposição de seus clientes para esclarecer qualquer dúvida por meio dos seus canais de atendimento ou de forma presencial em uma de nossas agências.

MAIS UM REAJUSTE

No último dia 4 de julho, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um novo reajuste para os consumidores, que será de 5,50% para clientes residenciais, rurais e comerciais, que correspondem a 99%, dos consumidores.

Segundo a Energisa, no processo de Reajuste Tarifário Anual, a Aneel promove um reajuste na tarifa vigente a fim de corrigir seu valor pelo índice de inflação acumulado no último ano. Além disso, nesse processo a Aneel aplica um fator de ajuste que visa compartilhar com seus consumidores o ganho de eficiência obtido pela empresa e, com isso, diminuir o impacto do índice de reajuste anual.

A Energisa disse que “segue rigorosamente” as regras estabelecidas no contrato de concessão, assim como as normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que regem o setor.

VEJA MAIS…

Técnicos da Aneel podem vir ao Tocantins fiscalizar abuso no preço da energia elétrica

Energia elétrica do Tocantins ficará mais ‘salgada’ a partir de julho, com reajuste de 7,7%

Comentários pelo Facebook: