Enquanto colégio aguarda inauguração, jovens estudam em condições precárias

Agnaldo Araujo - | - 567 views
Foto: Divulgação
Colégio em Wanderlândia

Crianças e adolescentes estão estudando em uma casa alugada e em condições precárias há quase dois anos na cidade de Wanderlândia, no norte do Estado.

Segundo denúncia de moradores, os estudantes são do Colégio Estadual José Luiz Siqueira, mas deixaram a unidade para que o prédio fosse reformado. A obra está concluída, mas os alunos continuam na casa alugada.

A inauguração teria sido marcada três vezes e desmarcada em razão do troca-troca de governador. Uma data estava agendada antes da cassação de Marcelo Miranda, que ocorreu no dia 22 de março, mas foi cancelada quando ele deixou o Palácio Araguaia. Na volta de Miranda ao cargo, em 6 de abril, a inauguração foi remarcada, mas houve duas mudanças e cancelada novamente.

Agora, não há previsão para a inauguração. “Não temos data prevista para inauguração e toda a equipe escolar está no limite”, afirmou um morador da cidade.

Segundo ele, os alunos e professores estão cansados. “Os alunos já estão cansados de estudar em condições de improviso há tanto tempo e os professores trabalhando sem estrutura adequada”, relatou.

O morador disse que o colégio foi construído através do Programa Estrada do Conhecimento (PEC) que visa atender comunidades em zona de vulnerabilidade social por ser uma cidade às margens da BR-153.

O OUTRO LADO

Em nota, a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) disse que os serviços de infraestrutura da obra foram concluídos e que agora estão sendo providenciadas instalações internas necessárias para o funcionamento das atividades escolares, tais como internet, telefone, ar-condicionado nos setores administrativos, laboratório de informática, mobiliário, dentre outros.

“Tão logo estiverem concluídos tais serviços, a escola será inaugurada”, afirma.

Foto: Divulgação
Situação da casa onde os alunos estão estudando
Foto: Divulgação
Os jovens estão estudando em uma casa alugada

 

Comentários pelo Facebook: