Sobral – 300×100
Seet

Estudante tocantinense sai da graduação direto para o doutorado em Chicago (EUA)

Redação AF - |
Foto: Divulgação
A estudante Anne Caroline Mascarenhas dos Santos, da UFT vai para Chicago (EUA).

A estudante Anne Caroline Mascarenhas dos Santos está concluindo a graduação em Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia na Universidade Federal do Tocantins, mas acaba de ser aprovada no programa de doutorado em Biologia, com enfoque em genômica, na Illinois Institute of Technology (IIT), universidade nos Estados Unidos, situada em Chicago.

Esse tipo de conquista é incomum para estudantes brasileiros – que é a transição da graduação diretamente para o doutorado.

Anne é natural de Petrolina-PE e ingressou na UFT no segundo semestre de 2011, onde a partir do segundo semestre de curso entrou no Laboratório de Manejo Integrado de pragas (MIP), sob orientação do professor Raimundo Wagner de Souza Aguiar. Durante o período em que estagiou no laboratório, teve a oportunidade de publicar trabalhos científicos e trabalhar com biologia molecular, área de estudo na qual vem atuando desde então.

Em 2015, foi selecionada para participar do programa Ciência sem Fronteiras, quando estudou por um ano em Boston University. Isso rendeu um certificado em biotecnologia para a estudante. Ainda durante o intercâmbio, a mesma foi selecionada por seu currículo e excelência acadêmica para participar da pesquisa de sequenciamento de genoma bacteriano no laboratório do professor Jean-François Pombert no IIT, onde se destacou e para onde está retornando.

Além de ser exemplo, a própria estudante destaca que mesmo com 14 anos de atividades, a UFT tem o corpo docente e a qualidade de ensino do mesmo nível de instituições tradicionais no Brasil e no exterior. “Muita coisa que vi nas aulas aqui na UFT, também vi no período em que estive nos EUA. Pude perceber que a gente tem uma educação muito melhor do que achava que tinha”, pontua Anne Caroline.

Adicionalmente, o aceite em um programa de PhD direto, ou seja, sem a realização prévia de mestrado, traz visibilidade para o curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia e para a UFT no exterior. Os feitos da aluna mostram que graduandos da UFT estão saindo da universidade com ensino de qualidade e com oportunidade de desenvolver ciência de alto nível, além da importância de incentivar e treinar alunos a serem bons pesquisadores durante a graduação. “É uma oportunidade única e vou levar o nome da UFT comigo. Espero que isso abra muitas portas para outros estudantes também”, acrescenta Anne.

O diretor do Câmpus de Gurupi, Gil Rodrigues, afirma que recebe a notícia com muita alegria e orgulho pela UFT. “Não é a primeira aluna que conclui a graduação na UFT para seguir os estudos em uma grande universidade. De um modo geral, os alunos que se dedicam às pesquisas nos diferentes grupos do Câmpus são aceitos em grandes instituições do país. E ir da graduação para um PhD nos EUA não é para qualquer um. Isso mostra que apesar do contingenciamento de recursos, os nossos alunos são esforçados e têm saído bem preparados pela UFT”. O diretor conclui que torce para que a estudante retorne após a qualificação que terá nos EUA, para trabalhar na UFT, assim como outros colegas docentes que são egressos. (Ascom UFT)

Comentários pelo Facebook: