Sobral – 300×100
Seet

Ex-diretora escolar desafia Secretaria de Educação a apresentar provas de desvio de recursos

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Secretaria Municipal de Educação de Araguaína

Da Redação //Da Redação

A novela envolvendo a ex-diretora do Escola Municipal Joaquim de Brito Paranaguá, Lélia dos Santos Nascimento, teve mais um capítulo. Dessa vez, a servidora do Município de Araguaína (TO), que está sendo acusada de supostos desvios de recursos, desafiou qualquer pessoa ou autoridade a apresentar provas sobre as acusações.

“Jogar penas ao vento é fácil. Denegrir a honra e a imagem das pessoas é também muito fácil, mas eu desafio, qualquer pessoa, inclusive o secretário de Educação, a apresentar documentos que provem cabalmente esses supostos desvios de recursos. Qual o valor desviado? De que conta foi desviada? Qual o destino dos recursos? É preciso ter provas para acusar as pessoas”, desabafou a servidora.

Lélia disse ainda estar “revoltada” com as acusações “infundadas e ofensivas” que, segundo ela, estão lhe trazendo muitos desgastes morais. Ainda, a ex-diretora apresentou os extratos bancários que comprovam o saldo de recursos deixados nas contas da escola, em valor superior a R$ 40 mil, bem como o ofício em que a Secretaria Municipal de Educação dá o prazo de 10 dias para a devolução de recursos no valor de quase R$ 8 mil.

“Estão me coagindo a devolver recursos sem que tenham uma única prova de que desviei algum dinheiro público. Se estão me acusando, então apresentem as provas”, afirmou a ex-diretora.

Foto: Divulgação
Ofício em que a ex-diretora é notificada a devolver recursos.

Uma das cobranças feita à ex-diretora refere-se a um débito da escola de 2014, mas que só foi pago com o repasse de 2015 por falta de recursos no ano anterior. Com isso, o Conselho de Alimentação Escolar quer a devolução dos recursos.

“Se o débito foi pago posteriormente por falta de recursos de quem é a culpa? De quem deixou de repassar em tempo hábil o recurso para honrar os compromissos ou da gestora que não queria deixar de cumprir com a responsabilidade da escola junto aos credores?”, questionou Lélia Nascimento.

A ex-diretora finalizou afirmando que espera um desfecho e uma decisão de uma esfera não “autoritarista e confiável”.

Extratos do saldo bancário na conta da escola em 31 de dezembro de 2015 (Clique sobre a imagem para ampliar).

Foto: Divulgação
Extratos bancários das contas da escola. Mais de 40 mil reais na conta.

Comentários pelo Facebook: