Seet
Sobral – 300×100

Chuvas e raios podem causar danos aos eletrodomésticos; saiba como prevenir

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Incidência de raios aumenta no período chuvoso

Basta o período chuvoso se aproximar para voltar a preocupação com os equipamentos elétricos e eletrônicos de maneira geral. Entre os transtornos previstos para essa época – que se estende de novembro até março do ano seguinte – estão as fortes tempestades que causam as enchentes, quedas e falhas no fornecimento de energia elétrica. Tais incidentes, causados pelo grande volume de chuvas, geram impactos significativos na vida das pessoas e podem ser sentidos principalmente nas grandes cidades.

A ocorrência de descargas elétricas durante o período é alta. O Brasil é líder mundial na incidência de raios, com 50 milhões de descargas por ano, segundo dados disponíveis no site do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), que pertence ao Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

O levantamento realizado pelo instituto aponta ainda que nos últimos seis anos, o número médio anual de raios no Brasil foi de 77,8 milhões. Esse valor é bem superior ao obtido no levantamento feito em 2002, que apontava cerca de 55 milhões de raios.

Para este período chuvoso, o Grupo de Eletricidade Atmosférica prevê uma incidência de raios dentro da média histórica nas Regiões Norte e Centro-Oeste e até 10% acima da média nas regiões Sul e Sudeste, com base nas temperaturas dos oceanos Atlântico e Pacífico, Equatorial e Norte. Além do fenômeno natural, que aumenta significativamente nesse período, quedas de energia são bastante comuns, provocando prejuízos incalculáveis.

Imensas perdas podem ser reduzidas por meio de investimentos em soluções de fornecimento e proteção de energia, como geradores e nobreaks. O nobreak é um equipamento elétrico que protege os dispositivos conectados a ele contra variações bruscas na rede elétrica e em situações onde o fornecimento normal da energia é interrompido, reduzindo riscos como a perda de dados por desligamentos inesperados. Para isso, conta com baterias que suprem a demanda por energia nos casos onde o equipamento é acionado.

Em situações de quedas de energia, ele protege e estabiliza as oscilações de tensão da rede elétrica, evitando, inclusive, curtos-circuitos. O cumprimento das funções do nobreak vai além da proteção: “O aparelho tem ainda a capacidade de “limpar” a energia fornecida pelas concessionárias, para que a eletricidade que alimenta os equipamentos seja de qualidade, evitando perdas de dados e danos causados a eles“, ressalta o diretor Comercial e de Marketing da empresa TS Shara, Jamil Mouallem.

No entanto, o produto também pode ser usado em outros equipamentos ligados à rede elétrica, como eletrodomésticos em geral. “O consumidor precisa estar ciente de que ele está adquirindo uma espécie de ‘seguro’ para o seu equipamento“, completa Mouallem.

Recomendado para utilização em cargas críticas – como em equipamentos e sistemas que necessitem de funcionamento ininterrupto, tais como servidores, datacenters, equipamentos bancários e hospitalares – seu uso não é limitado e pode perfeitamente atender demandas em residências, escritórios, comércios e sistemas externos (semáforos), bem como para telefonia celular e equipamentos de áudio e vídeo (home theaters). “É importante levar em consideração o quão sensível é o equipamento de TI alimentado pelo nobreak e, mais ainda, qual é o custo do mesmo parado ou danificado para a operação. Neste caso, é importante avaliar não somente o bem, mas o custo total de operação a que se está protegendo, reduzindo o risco de perdas”, conclui o diretor da TS Shara.

Comentários pelo Facebook: