Seet
Sobral – 300×100

Funcionários da Energisa Tocantins cruzam os braços por três dias para reivindicar direitos

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Trabalhadores cruzam os braços por três dias

Os empregados da Energisa Tocantins, concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica no Tocantins, vão cruzar os braços por três dias a partir da próxima segunda-feira (10) para reivindicar direitos e melhorias, e tentar sensibilizar a empresa em relação à pauta de reivindicações sobre o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

A decisão foi tomada em assembleia realizada nesta quinta-feira (06). A paralisação tem previsão de duração de três dias, porém, os serviços de urgência e emergência serão mantidos, garantindo assim o fornecimento de energia aos consumidores.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Eletricidade no Estado do Tocantins (Steet), Sérgio Aparecido Fernandes, “os trabalhadores por ampla maioria decidiram cruzar os braços, já que a empresa resiste em não atender suas reivindicações”. “A direção do sindicato, em nome dos trabalhadores, pede a compreensão de toda a população tocantinense, pois infelizmente não foi possível obter uma negociação justa sem esta paralisação”, declara.

Os trabalhadores querem reajuste salarial de 7%, sendo a correção da inflação mais 3% de ganho real, contudo, a Energisa está oferecendo apenas a inflação de 3,9%. O reajuste já deveria estar sendo pago desde o mês de maio.

Segundo Sérgio Fernandes, além de não atender à reivindicação dos trabalhadores, a Energisa pretende implantar o sistema de banco de horas. Ao invés de pagar as horas extras, o trabalho adicional será compensado com folgas, o que trará prejuízos financeiros.

O OUTRO LADO

Em nota, a Energisa disse que trabalha para que nenhum serviço essencial prestado aos clientes do estado seja afetado pela paralisação definida pelo sindicato que representa os trabalhadores da empresa.

“A paralisação parcial não deverá afetar a operação do sistema de distribuição de energia, as equipes de plantão, o funcionamento das agências e o atendimento do Call Center”, diz a nota.

A Energisa disse que espera que a condução do acordo coletivo seja feita de forma amigável e respeitosa.

Comentários pelo Facebook: