Sobral – 300×100
Seet

Governo não descarta possível extinção do PlanSaúde; manutenção se tornou “inviável”

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação

O Governo do Tocantins pode acabar com o PlanSaúde, que atende milhares de servidores em todo o Estado. Isso depois que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) iniciou uma tomada de contas especial sobre a ausência de repasses por parte do governo às empresas de saúde que atendem o convênio do plano. Diante dessa medida, o Executivo voltou a debater o funcionamento do benefício.

As informações foram divulgadas nesta terça-feira, 06, na coluna Atena Ligada, do Jornal do Tocantins. Conforme divulgado, a Secretaria Estadual da Administração (Secad) estaria fazendo estudos para reestruturar o PlanSaúde, mas a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) estaria defendendo a liquidação do benefício. A avaliação da Sefaz é que o Plansaúde, que conta com uma contrapartida do governo de 67%, teria se tornado inviável para o Executivo mantê-lo.

Ocorre que o governo não tem feito muito referente ao PlanSaúde, nem mesmo tem repassado os 33% descontados dos salários dos servidores públicos. O fato inclusive é um dos pontos que embasaram o pedido de impeachment do governador Marcelo Miranda na Assembleia Legislativa. Em razão dos atrasos desses repasses, o plano estaria com os atendimentos suspensos novamente.

Mas a situação é bastante complicada para o governador Marcelo Miranda (PMDB), pois além da questão financeira enfrentada pelo governo que dificulta o pagamento do PlanSaúde, existe a questão social, pois muitos servidores dependem do benefício.

Proposta

Como proposta, a Sefaz estaria elaborando uma sugestão alternativa ao PlanSaúde. A ideia do secretário Paulo Antenor de Oliveira seria adotar medida similar do governo federal, que dá uma ajuda ao servidor que contrata o seu plano de saúde. O auxílio teria como base a faixa salarial do servidor.

Comentários pelo Facebook: