Sobral – 300×100
Seet

Governo propõe pagamento da data-base aos servidores a partir de 2018; SEET lamenta

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Palácio Araguaia, sede do Governo do Estado

O Governo do Tocantins apresentou aos sindicatos proposta de pagamento da data-base de 2017 dos servidores públicos, com o índice de 3,98%, somente a partir de janeiro de 2018. A informação é do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Estado do Tocantins (SEET). O governo alega falta de condições financeiras no atual momento para o cumprimento imediato do percentual de correção anual, com base do INPC dos últimos doze meses.

Nesta sexta-feira (16), o presidente do SEET, Claudean Pereira, juntamente com outros sindicatos representantes dos servidores, estiveram reunidos para deliberarem os próximos encaminhamentos do cumprimento do data-base. No último dia 13, os líderes sindicais já tinham se reunido com o secretário de Articulação Política, João Emídio, e o da Administração, Geferson Barros.

Em maio, as entidades classistas enviaram ofício ao secretário Geferson Barros cobrando a imediata implementação da data-base ainda na folha daquele mês. Porém, a Secretaria da Administração alegou que, no momento, o Governo não tem condições financeiras para cumprir de imediato o percentual. Segundo o ofício, o Governo estuda o implemento integral deste percentual em janeiro de 2018.

O presidente do SEET lamentou a previsão de pagamento. “Com todo esse atraso da implementação, é lamentável que o Governo ainda não se posicionou a favor da categoria, sem nenhuma resposta concreta e plausível iremos cobrar até que os direitos sejam estabelecidos”, afirmou Claudean Pereira.

Em outro ofício, Governo afirmou que o impacto causado com o reajuste seria de mais de R$ 10 milhões na folha de pagamento, o que representa um acréscimo de 2,59% nas despesas do Executivo.

O Governo disse ainda que tem realizado estudos para implementação das progressões funcionais de 2015, mas sem data prevista, e encerra dizendo que o único compromisso a ser cumprido dentro da disponibilidade financeira do Estado é o pagamento da folha de subsídios e vencimentos e o cumprimento da data-base 2016, como vem sendo feito.

Posicionamento do Sintet

Indignado, o presidente do Sintet, José Roque Santiago, afirmou que já conversou com os representantes dos demais sindicatos e que juntos vão discutir e formular um documento contrapondo o governo e cobrando a implementação imediata da data-base de 2017, dos retroativos e das progressões.

“Não vamos recuar a luta, precisamos da união da categoria para mais este enfrentamento contra o descaso do governo para com a classe trabalhadora desse Estado”, pontuou José Roque.

Comentários pelo Facebook: