Seet
Sobral – 300×100

Halum diz que Kátia Abreu usa mandato para “benefícios próprios” e manda Irajá “sair de baixo da saia da mãe”

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Deputados Irajá Abreu e César Halum (esquerda para direita)

O clima esquentou entre os deputados federais do Tocantins Irajá Abreu (PSD) e César Halum (PRB), durante sessão da Câmara Federal, realizada na manhã desta quarta-feira (05/04). Os dois parlamentares trocaram acusações após Halum criticar a senadora Kátia Abreu (PMDB), que é mãe de Irajá Abreu.

O deputado afirmou que César Halum questionou a “folha de serviços prestados pela senadora” e defendeu: “Quero que apresente em argumentos e em números o volume de recursos que ele levou para o Tocantins, das obras que levou. Duvido que se somar seis anos do seu mandato se compara a apenas um ano da senadora”, disse Irajá.

O parlamentar acrescentou: “Existem diferenças entre dois políticos: o medíocre e o que tem espirito público, e este não tem medo do enfrentamento, o senhor [César Halum] é um deputado medíocre e a senadora [Kátia Abreu] é uma estadista”, alfinetou. Irajá Abreu ainda acusou Halum de ter inveja da senadora.

A resposta

Logo após, César Halum pediu o direito de resposta e disse que iria responder todas as agressões sofridas no Estado do Tocantins, com documentação. “Vou provar que a senhora senadora Kátia Abreu, realmente, só usou seu tempo de mandato para benefícios próprios. Nós temos larga documentação para mostrar isso e faremos lá no Estado”, disse Halum.

César Halum também acrescentou: “Vou provar quem é esse povo que usurpou o Tocantins o tempo inteiro, grilando terras e apropriando de coisas que não eram deles”, se referindo ao deputado Irajá Abreu e a senadora Kátia Abreu.

O deputado ainda acusou mãe e filho de “brigarem” por cargos políticos no Tocantins. “Eu não tenho empregos no Estado, se tiver quatro ou cinco pessoas ligadas a mim, em cargos pequenos, é muito. Quem brigou por cargo foi ele e a mãe dele, que quando o governo Marcelo Miranda assumiu, eles eram aliados, e deu a eles a Secretaria da Administração e a da Agricultura. Mas eles queriam mais: o Ruraltins, Intertins, Adapec, Naturatins e etc. Queriam o governo inteiro, mas o governador não deu e eles romperam. Portanto, quem gosta de empregos são eles”, afirmou.

Segundo César Halum, até o cabeleireiro de Kátia Abreu, em Palmas, era nomeado no gabinete do Ministério da Agricultura, quando ela era ministra da pasta.

O deputado também afirmou que sempre foi eleito pelo povo e disparou: “Eu realmente não tenho dez prefeitos que me apoiam no Estado. Eu sempre fui eleito com o meu próprio mérito, com o meu esforço, e eu tenho o apoio do povo, diferentemente do deputado Irajá Abreu que sempre foi eleito com os votos que a mãe dele ajeita para ele. Se ele sair de baixo da saia da mãe dele e vir disputar a eleição comigo ele vai ver qual é o deputado medíocre que está aqui para apoiá-lo”, afirmou.

Comentários pelo Facebook: