Seet
Sobral – 300×100

Idosa com Alzheimer sai de casa e não consegue retornar; saiba mais sobre a doença

Redação - |
Foto: Divulgação
A família comemorou o encontra com dona Elcina.

Camylla Costa // AF Notícias

Um apagão. É isso que o Alzheimer, aos poucos, provoca na memória dos portadores desta doença que atinge cerca de 1,2 milhão de brasileiros. Nesta quinta (21), no Dia Mundial do Alzheimer, é importante que as pessoas tenham consciência sobre a necessidade de dar a devida atenção às pessoas da melhor idade.

Os principais atingidos pelo Alzheimer são os idosos acima de 65 anos, que sofrem perda de memória, desorientação no tempo e no espaço, pensamento abstrato, dificuldade no aprendizado, incapacidade de realizar cálculos simples, distúrbios na linguagem, na comunicação e na capacidade de realizar tarefas cotidianas.

Estes sintomas acometeram a moradora de Araguaína, dona Elcina José de Meira Santos, de 65 anos, há aproximadamente um mês. Ela saiu de casa e não conseguiu retornar.

A idosa também não sabia seu próprio endereço e por isso as pessoas que a encontraram acionaram o Conselho Municipal do Idoso que, por sua vez, convocou a Proteção Especial da Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação de Araguaína.

Ao receber o chamado, a Secretaria se deslocou imediatamente para verificar o caso. A partir de então se iniciou um trabalho cauteloso para encontrar a família de dona Elcina, que já estava desesperada com o sumiço da matriarca.

Junto da família, dona Elcina recebe tratamento neurológico e psiquiátrico sob orientação da Secretaria.

APOIO

O desaparecimento de dona Elcina nada mais foi que um típico sintoma do Alzheimer. Orientada pela Secretaria responsável por esses casos, em Araguaína, a família já sabe como agir diante das consequências geradas pela doença.

Conforme a assistente social da prefeitura, Maria Aparecida dos Santos, dona Elcina está sendo bem assistida.

A profissional que já acompanhou inúmeros casos semelhantes a esse, alerta que as famílias com pessoas idosas devem sempre estar atentas aos sinais da doença. “É preciso verificar, acompanhar a pessoa idosa e se for preciso, procurar ajuda”, aconselha.

A DOENÇA

O Alzheimer é o tipo de demência mais comum e também é um termo geral usado para descrever as condições que ocorrem quando o cérebro não mais consegue funcionar corretamente. 

Não existem medicamentos que impeçam o progresso da doença, mas há medicamentos para tratar os sintomas de demência. Por isso, é importante que a família do doente procure ajuda para que então ele possa ter mais qualidade de vida.

Comentários pelo Facebook: