Indicação de vice na chapa de Vicentinho põe Dimas numa ‘saia justa’ e divide grupo

Redação AF - |
Foto: Divulgação/Marcos Filho
Grupo de Dimas e Elenil pode ficar dividido na eleição suplementar

Já corre nos bastidores da política de Araguaína que a indicação do candidato a vice-governador na chapa do senador Vicentinho Alves (PR), para a eleição suplementar de 3 de junho, contrariou uma orientação expressa do prefeito Ronaldo Dimas. Por isso, a situação já estaria causando certo desconforto dentro da gestão municipal.

O vice é o vereador Divino Bethânia Júnior (Pros), aliado ao deputado estadual Elenil da Penha (MDB), um dos mentores dessa articulação e companheiro de Dimas desde a eleição de 2012. Bethânia Júnior também integra a base do prefeito na Câmara.

Segundo fontes consultadas pelo AF Notícias, o prefeito reuniu o seu conselho político e foi categórico ao afirmar que não caminharia com Vicentinho especificamente na eleição ao Governo do Estado, e Elenil sabia disso!

Porém, o acordo teria sido costurado com o senador enquanto Dimas está licenciado do cargo, em viagem a Paris (França).

Ele [Elenil] peitou o prefeito Ronaldo Dimas!”, resume um aliado do prefeito ouvido pelo AF. “A discussão na prefeitura agora é outra. Se Dimas resolver apoiar o Carlesse, a pergunta será: você vota no candidato do prefeito ou do Elenil? Dimas vai admitir isso? A não ser que Elenil tenha combinado com ele [Dimas]. Caso contrário, colocou o prefeito numa saia justa”, argumenta.

A fonte acredita, contudo, que o senador Vicentinho deve procurar Ronaldo Dimas para conversar a respeito desta eleição suplementar, na tentativa de restabelecer o calor da aliança política.

APOIO DO MDB

Mesmo sem o apoio do MDB, o senador recebeu a adesão de importantes nomes do partido, a exemplo dos deputados estaduais Nilton Franco, Valdemar Júnior, Jorge Frederico e o próprio Elenil da Penha, além do prefeito de Paraíso do Tocantins, Moisés Avelino.

“[Vicentinho] teve um livramento. Se o partido vem compor, ele pegaria a rejeição do governo de Marcelo Miranda. Da forma atual, tem o apoio dos líderes e a musculatura política, mas sem o partido oficialmente”, finaliza.

Comentários pelo Facebook: