Sobral – 300×100
Seet

Judiciário do Tocantins é alertado sobre potencial ataque do PCC e Comando Vermelho

Redação - |
PCC e CV se aliam para atacar policiais e militares

Camylla Costa//AF Notícias

Um relatório de setores de inteligência da Polícia Federal (PF) e da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) aponta que facções criminosas conhecidas nacionalmente como Primeiro Comando da Capital (PCC) e Comando Vermelho (CV) se aliaram e planejam ataque contra policiais e militares de pelo menos cinco estados: São Paulo, Rondônia, Pará, Roraima e Ceará.

No Tocantins, membros do judiciário já foram informados sobre a ‘potencialidade’ de ataques, conforme alerta emitido pela Assessoria Militar do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ/TO).

No documento, a Assessoria Militar recomenda que o TJ, a Corregedoria Geral e a Comissão Permanente de Segurança Institucional adotem medidas preventivas e comuniquem todos os magistrados, para que também alertem suas equipes. Isso porque, de acordo com a inteligência, o PCC e o CV solicitaram um levantamento completo das instalações do Poder Judiciário.

Além deste fato, a Assessoria Militar ressalta que “o Estado dispõe de mais de 20 pontes de travessias para outros Estados, seja por rios, pontes ou balsas ou por rodovias federais e estaduais” que podem ser utilizados pelos criminosos como canal para a execução dos ataques.

A Assessoria Militar destacou ainda que o Estado tem uma capacidade de resposta preocupante para conter uma possível ação criminosa dessa magnitude. “O sistema prisional de forma geral está muito aquém das necessidades dos municípios e via de regra só há dois policiais militares por turno de 24 horas nessas urbes. Várias cidades, inclusive, ainda não tiveram policiamento recolhido exatamente pela presença de um Magistrado e uma Unidade do Poder Judiciário”, enfatiza o documento.

“Nossas considerações não tem a intenção de provocar alarde desnecessário, mas a existência de faccionados em liberdade é uma realidade, e uma vez inclusos nos ‘partidos’, não há como sair, e devem obedecer ou serem sentenciados a pena inclusive de morte”, aleta o documento.

RECOMENDAÇÕES

Por esta razão,  a assessoria recomendou que o TJ/TO adote medidas preventivas como manter todos os portões fechados, não fornecer informações sobre projetos dos prédios sob nenhum pretexto, informar as viagens dos magistrados ao mínimo possível de pessoas, visto que há risco real de vazamento de dados, e restringir o acesso a estacionamentos somente aos juízes e servidores cadastrados pela diretoria.

MOTIVAÇÕES

O relatório da Polícia Federal não deixa claro o motivo da ação criminosa, mas segundo apurou o site UOL, os ataques seriam uma resposta às medidas que restringem visitas íntimas aos líderes das duas facções em presídios federais e aos avanços das investigações da PF contra o PCC e o CV.

Comentários pelo Facebook: