Seet
Sobral – 300×100

Juíza de Araguaína realiza audiência de interdição na própria casa das pessoas

Redação AF -
Foto: Divulgação/TJTO
Este ano já foram ingressos 78 pedidos de interdição. Desse total, 22% necessitaram das visitas in loco.

O Poder Judiciário celebra mais uma boa prática em benefício dos cidadãos. Na Comarca de Araguaína, a titular 2ª Vara de Família e Sucessões, juíza Renata Teresa da Silva Macor, vem realizando mensalmente audiências de interdição nas residências de jurisdicionados com dificuldades de locomoção.

Além da magistrada, a iniciativa conta também com a atuação de escrivães, representantes do Ministério Público e da Defensoria Pública. No último dia 26, foram realizadas três audiências visando garantir a celeridade nos procedimentos.

“Ao constatar que é necessária a interdição, é dispensada a perícia médica, e chegando ao Fórum, já proferimos sentença de mérito de interdição agilizando o feito, uma vez que pessoas doentes e acamadas precisam de medidas imediatas”, afirmou.

Este ano já foram ingressos 78 pedidos de interdição. Desse total, 22% necessitaram das visitas in loco. Em Araguaína a 1ª Vara de Família e Sucessões, sob a coordenação do juiz Carlos Roberto de Sousa Dutra, também aderiu ao projeto, e já tem previsão de realizar outras quatro audiências no mês de setembro.

Audiências in Loco

O Projeto é desenvolvido pela juíza Renata Teresa da Silva Macor desde o ano de 2005, sendo iniciado na Comarca de Araguacema. Em 2008 a magistrada levou a iniciativa ao município de Araguaína.

Comentários pelo Facebook: