Macas do Samu e UPA são retidas no Hospital Regional de Araguaína por falta de leitos

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Hospital Regional de Araguaína

Com a superlotação no Hospital Regional de Araguaína (HRA), as macas que chegam com pacientes levados da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), e às vezes até mesmo as do Samu, acabam ficando retidas no hospital, em vez de serem devolvidas.

Um servidor da UPA denunciou que ao solicitar alguma transferência para a sala vermelha ou verde, o hospital informa que recebe o paciente, porém já adianta que não tem onde deixar. Numa das situações, a maca já ficou até por uma semana no HRA. Por outro lado, a UPA fica sem condições de dar atendimento a novos pacientes.

“A gente fica numa situação difícil. O paciente precisa ir [ao HRA] para receber uma atenção de complexidade maior, mas ao mesmo tempo tem a maca que fica lá. Ficamos sem condições de dar um atendimento para o próximo paciente que precisar”, diz a denúncia.

Para evitar agravamento do quadro de saúde dos pacientes, a UPA disponibiliza tanto a maca alta quanto a maca de ambulância. “Já chegou dia de termos quatro macas retidas”, informou, destacando que o ‘empréstimo’ de macas acontece praticamente todo dia.

“Na sexta-feira (15), estávamos com todas as macas ocupadas na sala vermelha [do HRA] e não tínhamos como receber paciente”, disse.

Casos de infarto, trauma, sepse, AVC (acidente vascular cerebral) são os mais comuns que a UPA recebe e precisa transferir ao Hospital Regional para dar continuidade ao tratamento. Outro problema é que, na maioria das vezes, os médicos informam que não há leitos e nem saída de oxigênio para receber o paciente.

A reportagem entrou em contato com a Secretária de Estado da Saúde (SES), e aguarda uma resposta.

(Com informações do Araguaína Notícias).

Comentários pelo Facebook: