Seet
Sobral – 300×100

Mais de 163 mil pessoas vivem na extrema pobreza no Tocantins, diz consultor

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Exemplo de pessoas vivendo em extrema pobreza em Araguaína

A situação da extrema pobreza no estado do Tocantins representa 11,82% da população tocantinense, com o total de 163.588 pessoas. A afirmativa é do consultor de gestão do Sistema único de Assistência Social, Valdiosmar Vieira Santos, que esteve em Palmas e Araguaína nesta semana para ministrar palestra e ciclo de debates com tema Vigilância Socioassistencial e sua importância para o Sistema Único da Assistência Social (SUAS).

Voltado para gestores, técnicos, assistentes sociais, estudantes, professores e outros profissionais, o encontro em Palmas aconteceu na terça-feira (23), e reuniu profissionais das cidades de Miracema do Tocantins, Porto Nacional e Paraíso do Tocantins. Na quarta-feira (24), uma nova edição do evento foi oferecida em Araguaína para o público da região Norte do Estado. O evento foi uma realização da Fundação Restaurar com apoio da CRF Consultoria.

11Na palestra, o consultor debateu os dados da realidade da Política de Transferência de Renda e Assistência Social do Tocantins, conforme informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Segundo ele, até dezembro de 2015, o Tocantins tinha 286.788 famílias cadastradas, sendo que destas, 136.650 eram beneficiárias do Programa Bolsa Família. “Percebemos que existe uma inserção dessas famílias em programas de transferência de renda, o que não existe é a mesma proporcionalidade de famílias beneficiárias de programas sociais inseridas em serviços que as acompanham”, afirmou.

Debate

No encontro, o consultor identificou a situação real nos territórios, debateu até que ponto estes índices refletem a realidade do povo tocantinense e discutiu com gestores e técnicos da área o porquê do contratempo entre a oferta de serviço e a demanda real da população.

Consultor e prestador de serviços da Fundação Restaurar, André Luiz Novais Dória considera que o encontro foi uma importante oportunidade de reflexão e de trocas de experiências entre os municípios, debatendo assuntos como o financiamento, a gestão e as desigualdades regionais.

Participantes

Professora e assistente social em Porto Nacional, Eva Regina avaliou o encontro como dinâmico e produtivo. “Em poucas horas de atividades conseguimos ter um grande panorama sobre a assistência social e muitas orientações sobre como devemos atuar e uma atualização sobre as novas perspectivas da nossa área”, considerou.

A assistente social em Araguaína, Carla Torres, afirmou que o encontro foi muito produtivo. “O conteúdo foi passado de uma forma que ficou bem fácil de absolver. O que foi passado com relação à forma de abordagem e entrevista dos Assistidos foi muito importante, já vou colocar em prática no meu trabalho. Palestras como estas são muito importantes para a nossa área porque a pessoa que fica sem se atualizar acaba sendo ignorado pelo mercado. Com certeza já vou começar a aplicar os conhecimentos adquiridos”, apontou.

Acadêmica de Serviço Social em Araguaína, Adria Regina Barros disse que foi importante ter participado da palestra para entender como se comportar com os Assistidos. “Já estou fazendo estágio e a palestra foi muito importante para melhorar a abordagem ainda no estágio. Gostei muito também sobre a parte que ele destacou sobre o Código de Ética, assim quando eu for exercer a minha profissão estarei muito esclarecida sobre o assunto”, poderou.

 

Comentários pelo Facebook: