Seet
Sobral – 300×100

Mais de mil crianças esperam por cirurgias pediátricas na fila do SUS no Tocantins

Agnaldo Araujo - |
Foto: JH
João Victor aguarda pela cirurgia há nove anos

Mais de mil crianças esperam por cirurgias pediátricas que já deveriam ter sido feitas pelo sistema público de saúde no Tocantins, segundo o Ministério Público. Em novembro de 2016, uma liminar determinou que o Governo do Estado apresentasse um plano para resolver o problema, mas não ocorreu. O assunto foi tema de reportagem no Jornal Hoje, nesta segunda-feira (27/03).

João Vítor, de 10 anos, precisa de uma cirurgia no sistema urinário. Ele está na lista de espera há nove anos. “Se eu tivesse condições financeiras, eu já tinha feito. É um direito nosso ter a saúde e a gente não tem”, disse a mãe Maria Aparecida da Silva.

Já a família de Maria Sofia, de um ano e meio, desistiu de esperar. A menina precisava de uma cirurgia no intestino. Com uma campanha foram arrecadados R$ 50 mil para que ela fosse operada em Brasília. “O momento que precisamos do SUS não conseguimos. É um alívio saber que minha filha vai para a escola, vai brincar, se divertir, como qualquer outra criança”, fala a mãe Maria de Jesus Barros.

A Secretaria de Saúde (Sesau) chegou a se comprometer a operar 30 crianças por mês no Hospital Público de Araguaína. Isso para desafogar os hospitais da capital, que estão sobrecarregados, e gradativamente zerar a fila. Entretanto, uma vistoria descobriu que os pacientes continuam sendo levados para Palmas. “Falta de carga horária, falta de leito de UTI para operar, falta de materiais, falta de insumos têm inviabilizado as cirurgias pediátricas”, relatou o defensor público Artur Pádua.

O Governo do Estado afirma que só tem cirurgiões pediátricos para atender emergências. “Estamos tentando priorizar isso, abrimos um chamamento público para os profissionais, cirurgiões pediatras, que é uma das especialidades mais difíceis no Brasil de se encontrar. Vamos abrir também novamente um novo chamamento e com outras alternativas para poder suprir essa demanda, essa necessidade”, disse o secretário de Saúde do Tocantins Marcos Musafir. (Fonte: Jornal Hoje).

Comentários pelo Facebook: