Seet
Sobral – 300×100

Marcelo Miranda, denunciado no escândalo das pontes superfaturadas, pegará empréstimo para outra ponte

Redação AF - |
Foto; Divulgação
Ponte será construída sobre o Rio Tocantins, em Porto Nacional.

O Governador do Tocantins Marcelo de Carvalho Miranda (PMDB), denunciado pelo Ministério Público no escândalo de superfaturamento de uma centena de obras e pontes, cujos prejuízos somaram R$ 600 milhões aos cofres públicos, conseguiu autorização da Assembleia Legislativa para contratar empréstimo de 36 milhões de euros para a construção de outra ponte, dessa vez sobre o Rio Tocantins, em Porto Nacional, no valor de R$ 101,3 milhões.

O empréstimo será captado junto a instituição italiana Unicredit – Atividades Bancárias Coorporativas e de Investimento. A obra foi licitada em 2014 pela Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), tendo como vencedora a empresa Rivoli S.A. Após o início dos trabalhos, o prazo para conclusão é de 900 dias.

A empresa Rivoli, juntamente com EMSA, Construsan, também são alvos do Ministério Público do Tocantins na investigação de superfaturamento em cerca de 170 obras durante os governos de Marcelo Miranda e Siqueira Campos.

Há casos de superfaturamento de preço, construções superdimensionadas e outros em que as obras não ocorreram. Com base em perícias do Instituto de Criminalística e em análise do Tribunal de Contas do Estado, a força-tarefa do MP concluiu que ‘houve reiterado superfaturamento de preços, serviços pagos em duplicidade, entre diversas outras irregularidades que redundaram em lesão ao patrimônio’.

Em contrapartida, segundo o MP, as empresas citadas no suposto escândalo foram responsáveis, ao menos indiretamente, pelo financiamento da campanha eleitoral de Marcelo de Carvalho Miranda em 2006.

O Ministério Público do Tocantins já ajuizou 55 ações por ato de improbidade administrativa e 10 ações de ressarcimento de danos causados ao erário referentes a irregularidades em construção de pontes, execução de obras de terraplanagem, pavimentação asfáltica em todo o Estado. A Promotoria busca condenações em aproximadamente R$ 600 milhões.

Ponte sobre o rio Balsas Mineiro II ‘esticou’ 55 metros. Obra da gestão estadual deveria ter 95 metros, mas acabou com 150 metros de extensão
Ponte sobre o rio Balsas Mineiro II ‘esticou’ 55 metros. Obra deveria ter 95 metros, mas acabou com 150 metros de extensão. Tão extensa que um morador fez um curral debaixo.

Ponte de Porto Nacional

Já a nova ponte terá 1.488 metros de extensão, sendo 1.088 de vão e 400 de aterro. Além do valor do empréstimo o governo também deve entrar com uma contrapartida de 15% do valor total.  A obra deve começar após o término do processo de captação de recursos.

A antiga ponte tem apenas 900 metros e liga o tráfego da TO-050, pelo trevo da TO-255 com a TO-070 até a BR-153. Ela foi construída entre os anos de 1976 e 1979. Danos estruturais fizeram com que o trânsito pesado fosse limitado.

Em 2011, um relatório elaborado pelo Laboratório de Sistemas Estruturais (LSE) apontou que a ponte estava impossibilitada de receber o trafego de caminhões de cargas. Desde então, somente veículos com até 30 toneladas de peso podem passar pelo local. Para chegar à Palmas, veículos que ultrapassam o limite de peso precisam ir até Paraíso do Tocantins, aumentando a distância em 100 km.

Comentários pelo Facebook: