Seet
Sobral – 300×100

“Marcelo Miranda vai levar Tocantins para o buraco”, afirma Ataídes Oliveira

Agnaldo Araujo -
Foto: Edição AF Notícias
Senador Ataídes Oliveira e o Governador do Estado Marcelo Miranda

O senador Ataídes Oliveira (PSDB) destacou, na manhã desta terça-feira (16/08), o agravamento do caos da saúde tocantinense com a deflagração da greve dos médicos no Estado. Apesar dos prejuízos causados à população, o senador reiterou que os médicos não tinham outra opção, diante do não pagamento da data-base, que é o reajuste salarial anual. Outras categorias estaduais, como as da área de educação, já cruzaram os braços desde a semana passada.

“Realmente não entendo o que acontece. O Estado bateu recorde de arrecadação no trimestre, inventou no final do ano um “pacotaço” de impostos ilegal e imoral que está sacrificando o tocantinense. E a gente vê no noticiário eles dizendo que não têm recursos para pagar data-base, não paga isso, nem aquilo. Essa gestão estadual vai levar o Tocantins para o buraco”, afirmou o parlamentar.

Para justificar a declaração, Ataídes lembrou que o Estado fechou o primeiro semestre deste ano com R$ 3,05 bilhões entre repasses federais e arrecadação própria, ou seja, R$ 187 milhões a mais que no mesmo período do ano passado, conforme dados do próprio Tesouro Estadual.

“Alguma coisa está errada. Essa conta não bate. Primeiro: o governo não faz a lição de casa, que é cortar gastos e enxugar a máquina.  Depois, impõe à população mais impostos ilegais e imorais, que inclusive estamos combatendo na Justiça. E mais: tem arrecadação recorde, mas por outro lado não dá conta de honrar seus compromissos. É incompetência”, ressaltou.

Pacotaço

Em junho deste ano o Estado arrecadou ainda R$ 212,24 milhões de ICMS, um dos tributos que tiveram aumento dentro do “pacotaço” de impostos criado pelo governo do Estado e que o governo cobra desde janeiro deste ano. O PSDB ingressou com ações na Justiça para anular esse “pacotaço” – o aumento da taxa de inspeção veicular já foi derrubada pelo partido na Justiça.

Comentários pelo Facebook: