Seet
Sobral – 300×100

Marcus Marcelo e Tiago Dimas devem deixar PR após tensão criada por Vicentinho

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Marcus Marcelo e Tiago Dimas

Movimentações intensas marcam às vésperas do fim do prazo de desincompatibilização e da ‘janela partidária’ para quem pretender disputar cargo eletivo nas eleições de outubro de 2018. A data limite é 7 de abril (sábado).

Em Araguaína, o atrito provocado pelo senador Vicentinho Alves, presidente regional do Partido da República, com o prefeito Ronaldo Dimas deve provocar uma debandada de filiados da sigla.

Vicentinho lançou Dimas como pré-candidato a governador, mas assumiu a pré-candidatura em nome do partido ao vislumbrar outro cenário político pós cassação de Marcelo Miranda. Com o retorno do governador ao cargo, via liminar do ministro Gilmar Mendes, Vicentinho deu uma pausa no projeto ‘em respeito ao MDB e PV’, siglas com as quais busca aproximação.

Nesta sexta (6), Dimas teve uma longa reunião com secretários e aliados políticos para avaliar a conjuntura e discutir possíveis alianças. Opinião quase unânime é que a permanência no PR se tornou inviável. Por isso, teria ficado definido inicialmente que Tiago Dimas, filho do prefeito, e o vereador Marcus Marcelo vão deixar o partido, já que o clima não está muito agradável.

Tiago aproveitou a reunião para pedir exoneração do cargo de presidente do Instituto de Tecnologia e Desenvolvimento Sustentável visando disputar uma vaga de deputado federal. As conversas estariam bem adiantadas com o Solidariedade (SD).

Marcus Marcelo vive um dilema: continuar no PR e correr o risco de não ter palanque na corrida a deputado estadual ou sair do partido e perder o mandato de vereador por infidelidade partidária. De qualquer forma, ele tem cerca de 24 horas para se decidir.

Comentários pelo Facebook: