Sobral – 300×100
Seet

Marina lança Márlon Reis como pré-candidato a governador do Tocantins na eleição suplementar

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Márlon Reis é pré-candidato ao Governo do Tocantins.

O ex-juiz eleitoral Márlon Reis, mentor da Lei da Ficha Limpa, será lançado neste sábado (31) em Palmas como pré-candidato ao governo do Tocantins pela Rede Sustentabilidade na eleição suplementar que ocorrerá no dia 3 de junho.

O evento terá a presença da porta-voz nacional do Rede e pré-candidata à Presidência da República, Marina Silva, e demais lideranças do partido, além de líderes de associações, sindicatos e entidades representativas do Tocantins.

“Estamos vendo nascer um grande movimento espontâneo por parte da população que deseja limpar a política das práticas corruptas e dos desmandos. Nossa pré-candidatura nasce com este espírito, de propor uma maneira nova de governar, com pulso firme no combate às ilegalidades e com ações que garantam o desenvolvimento de fato do nosso Tocantins”, pontuou Márlon Reis.

Na última semana, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o mandato do governador Marcelo Miranda (MDB) e da vice-governadora Cláudia Lelis (PV) por caixa dois durante a campanha de 2014. Nos últimos sete anos, o estado do Tocantins teve oito governadores. Uma sucessão de cassações e mandatos interrompidos pela Lei da Ficha Limpa.

Márlon Reis tem se posicionado como um nome que representa mudança na política regional e nacional. Além do combate à corrupção, defende uma gestão transparente, participativa e inovadora.

A Lei da Ficha Limpa foi criada a partir de um projeto de lei de iniciativa popular idealizado pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e reuniu 1,6 milhão de assinaturas. A proposta enfrentou a resistência inicial do Congresso, mas acabou aprovada sob forte pressão popular em maio de 2010, de forma unânime. Sancionada pelo ex-presidente Lula, enquanto presidente, a lei torna inelegível por oito anos o candidato que tiver o seu mandato cassado, renunciar para evitar a cassação ou for condenado por decisão de órgão colegiado.

Críticos da lei alegam que a norma fere a soberania do eleitor de escolher seus candidatos e atenta contra o princípio da presunção da inocência, já que o candidato fica inelegível sem a Justiça ter concluído seu processo. Desde sua implantação, magistrados têm divergido sobre a forma de aplicação da lei, o que deixa incerto o cenário em relação a Lula.

Idealizador da Ficha Limpa, o ex-juiz eleitoral Márlon Reis defende a aplicação da lei a quem for, inclusive o ex-presidente Lula. “Se há alguma crença de injustiça no caso dele, ela deve ser dirigida à Justiça Criminal, não à Lei da Ficha Limpa, que não tem nada a ver com isso. A Lei da Ficha Limpa é abstrata, não foi pensada para atingir ninguém em particular. Ela precisa ser defendida com afinco, porque chama atenção para a necessidade de mudança de comportamento na política”, disse.

Natural de Pedro Afonso (TO), Márlon Jacinto Reis é jurista, advogado e ex-magistrado brasileiro, além de idealizador da Lei da Ficha Limpa. Ganhou notoriedade como juiz de direito, cargo que ocupou até abril de 2016, e pelo combate à corrupção no Brasil. Ele idealizou e fundou, juntamente com lideranças sociais, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

Com informações do Congresso em Foco.

Comentários pelo Facebook: