MEC seleciona três escolas para implantação do Ensino Médio em Tempo Integral

Redação AF - |
Foto: Divulgação
MEC divulga lista de escolas selecionadas pelo Programa.

Três escolas de Araguaína foram selecionadas pelo Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral que será implementado de 2017 a 2020. A lista final foi divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) nesta sexta-feira, 23. Dentre as escolas aprovadas, 12 são da rede estadual de ensino do Tocantins. Foram consideradas aptas 523 instituições nos 26 estados e no Distrito Federal, representando 266 mil novas matrículas em tempo integral no primeiro edital do programa.

Serão contempladas já em 2017, as escolas tocantinenses: Colégio Estadual Rui Barbosa (Araguaína); Cem Benjamim José de Almeida (Araguaína); Centro de Ensino Médio (CEM)  Paulo Freire (Araguaína); CEM Dona Filomena Moreira de Paula (Miracema); CEM Darcy Marinho (Tocantinópolis); CEM Bom Jesus (Gurupi); CEM Antônio Póvoa (Dianópolis); CEM Oquerlina Torres (Guaraí); CEM Presidente Castelo Branco (Colinas); Colegio Estadual Professora Joana Batista Cordeiro (Arraias); Colégio Militar de Palmas (Palmas); e Escola Estadual Madre Belém (Palmas).

As escolas do Tocantins foram selecionadas pelo MEC após a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) apresentar uma proposta pedagógica, incluindo o estudo e mapeamento das escolas candidatas. Regiões de vulnerabilidade social ou com baixos índices sociodemográficos foram priorizadas na seleção.

A secretária de educação, professora Wanessa Sechim, enfatiza os ganhos para os cerca de 2.700 estudantes que serão favorecidos pelo programa no Estado. “Antes de enviarmos as proposituras para o MEC, apresentamos a proposta aos diretores das escolas e diretores regionais de educação com o intuito de fazer uma ampla discussão pontuando o que ganharíamos com esse programa. Os benefícios são muitos. A proposta baseada não apenas em mais tempos de aula, mas sim, em uma visão integrada do estudante, reforçando as disciplinas do núcleo comum, como português a matemática, além da grade das disciplinas do núcleo diversificado, que juntas permitem uma formação integral dos educandos”, relata.

Recursos

Para apoiar os estados a transformarem as unidades já existentes em escolas de ensino médio em tempo integral, no início de 2017, o governo federal repassará a primeira parcela de R$ 230 milhões às unidades federativas. Os recursos para implementação do programa serão transferidos por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Conforme a MP 746/2016, o valor repassado pelo MEC será de R$ 2 mil por aluno anualmente. (Núbia Daiana Mota)

Comentários pelo Facebook: