Sobral – 300×100
Seet

Promotor diz que “tentou prevenir” impactos causados pelas chuvas em Araguaína, mas “nada fizeram”

Redação AF - |
Foto: Divulgação
A gigantesca cratera avançou sobre a única pista liberada para trânsito da TO-222 naquele local

O rompimento da única pista da Avenida Filadélfia, em que ainda era possível o tráfego de veículos, no perímetro urbano da TO-222, bem como alagamentos em vários pontos de Araguaína (TO) na última quarta-feira (13), poderiam ter sido evitados caso o Poder Público tivesse adotado as providências sugeridas numa recomendação expedida pelo Ministério Público Estadual (MPE), cinco meses antes, sobre a necessidade de elaboração de um plano de contingências em face das chuvas.

“Desde agosto eu havia tentado prevenir. Nada fizeram!”, afirmou o promotor Alzemiro Wilson Peres Freitas, titular da Promotoria do Patrimônio Público.

A forte chuva da última quarta fez a gigantesca cratera da TO-222 avançar sobre a outra pista e ainda derrubou um poste de energia elétrica em frente à Praça dos Imigrantes, no Setor Coimbra. Agora, a rodovia está interditada e o fluxo de veículos está sendo desviado por rotas alternativas.

No dia 24 de agosto de 2015, o promotor encaminhou uma recomendação ao prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, ao Secretário de Infraestrutura, Simão Moura Fé e ao Dertins – Departamento de Estradas e Rodagens do Tocantins, informando sobre a necessidade urgente de ações preventivas no local, antes do período chuvoso.

O documento ainda lembrou que até aquele momento o Município não possuía um plano de contingência para o período de chuvas, ou, “nunca teria sido executado de forma eficiente”.  “A proximidade do período chuvoso é fato mais do que previsível, todavia, sempre é equivocadamente utilizado como ‘forma’ ou ‘desculpa’ que demonstra a ausência absoluta de políticas públicas ou sequer planejamento e critérios prévios”, disse o promotor, na época.

Entre as medidas recomendas estavam a implantação de bacias de contenção e galerias de água pluviais, construção de dissipadores de energia resistentes à ação das águas no fim de cada rua ou avenida para minimizar o impacto da enxurrada e programa de sensibilização dos cidadãos quanto à importância de não se jogar lixo nas ruas, rios e em outros lugares impróprios, bem como da importância de manter os logradouros públicos limpos para a circulação das águas pluviais.

Conforme o MPE, a implementação de um plano preventivo pela Defesa Civil possibilitaria a adoção de medidas de prevenção e preparação para que fossem minimizadas as consequências dos alagamentos e deslizamentos de terra.

Após a chuva da última quarta, equipes da limpeza pública de Araguaína retiraram muito lixo acumulado nos bueiros e pediu a colaboração da população.

Comentários pelo Facebook: