Miranda diz que não fechará portas para Siqueira: ‘é momento de unir forças pelo Tocantins’

Redação AF - | - 708 views
Foto: AF Notícias
Reunião do MDB para lançar Marcelo Miranda à reeleição

Nielcem Fernandes //AF Notícias

O governador Marcelo Miranda foi lançado oficialmente como pré-candidato à reeleição pelo MDB e deixou bem claro em seu discurso que não se furtará às responsabilidades com seu partido e nem fechará as portas para futuras alianças com o ex-governador Siqueira Campos (DEM). “É um momento de unir forças e pensar no Tocantins”, disse. O lançamento ocorreu no último sábado (27), em Palmas.

“Vou deixar muito bem claro: as portas não se fecham, não precisamos nem procurar mais candidato. No palanque da senhora (Kátia Abreu), que tenta denegrir a minha imagem, eu não estarei. Não vamos fechar as portas para o governador Siqueira, é um momento de unir forças e pensar no Tocantins. Aqui não tem nenhum candidato que me amedronta, com todo respeito”, destacou Miranda, ressaltando que irá “combater o bom combate”.

Sobre a decisão de disputar à reeleição, o governador que respeita a posição do partido. “Se o partido entende que o momento é agora, a partida está dada. Saio daqui fortalecido espiritualmente e porquê não dizer politicamente. Se o momento é esse, eu peço lealdade”, declarou.

Na presença de várias lideranças, o governador disse ser “gratificante olhar e ver tantos políticos caminhado num sentido só, com os mesmos ideais de buscar melhorias para a nossa sociedade”.

“Respeitamos tomos aqueles que criticam positivamente. Temos que responder positivamente e com trabalho. Ontem mesmo fui atacado por uma ex-companheira de partido [Kátia Abreu] a quem entreguei a pasta de educação por lealdade, cobrando apenas resultados. Eu não vou baixar o nível de forma alguma. Aqui hoje tem companheiros dos 139 municípios. Se o outro lado fizer uma reunião, não aparece nem 20 gestores”, alfinetou.

Em tom ameno, o governador falou sobre aos ataques e críticas recorrentes à sua administração e sua pessoa pública. “Tenho sido provocado na imprensa e nas redes sociais para me desestabilizar emocionalmente. Mas Deus me mostrou muita coisa. A sociedade civil organizada já me fez parar de pensar em mim”, disse o governador.

Miranda finalizou assegurando que não deixará o governo. “Do governo eu não saio. Tenho sob os meus ombros uma grande responsabilidade de recuperar muita coisa que temos que recuperar. Não é admissível errarmos nesse momento de decisão“, finalizou.

Comentários pelo Facebook: