Seet
Sobral – 300×100

Moradores jogam até água de piscina no meio da rua e prefeitura suspende recuperação asfáltica

Agnaldo Araujo -
Fotos: Marcos Filho
Os servidores foram interrompidos no setor

A Prefeitura de Araguaína suspendeu o serviço de recapeamento das ruas do Setor Anhanguera porque os moradores estão jogando água servida nas ruas, inclusive a água de piscina. Conforme a prefeitura, um total de 24 residências foram registradas nessa situação. A ação de recuperação do asfalto das ruas do setor estavam previstas no Projeto de Contribuição de Melhoria.

A retomada da obra só será feita após o problema ser resolvido. Os componentes químicos da água servida ou de piscina jogada diretamente na rua reagem com o asfalto danificando a pavimentação. Nos últimos anos, a Prefeitura vem cobrando da concessionária de serviços de saneamento básico a implementação da rede de esgoto na cidade, o que vem acontecendo em vários bairros.

O Setor Anhanguera é um desses bairros que já está com a rede de esgoto implantada, mas alguns moradores insistem em jogar água servida na rua. De acordo com o diretor do Departamento Municipal de Postura e Edificações (Demupe), Nicácio Rodriguez Mourão, até agora foi constatado que 14 casas jogam água das piscinas diretamente na rua.

“Só em uma semana tivemos 10 denúncias de água servida nesse setor. A interrupção da água tem que ser imediata. Os proprietários foram comunicados a resolverem o problema para que façam a ligação diretamente na rede de esgoto”, explicou o diretor.

Ainda segundo Mourão, os setores que apresentam maior incidência desse problema são: Noroeste, São João, Brasil, Anhanguera, Tecnorte, Martins Jorge e Eldorado.

Prejuízo para população

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (PR), lembrou que o prejuízo não é apenas para o poder público. “Quando um serviço é feito e depois desfeito pela água servida, as equipes precisam voltar para o local e refazer o trabalho. É dinheiro gasto desnecessariamente. Este é o dinheiro público, do contribuinte”, afirmou.

Risco de doenças

Acumulada nas sarjetas, a água parada além de estragar o asfalto se transforma em criadouro para o mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue, Chikungunya e o Zica vírus. A água também contribui para a proliferação de bactérias que, em contato com humanos, podem causar doenças como diarreia, cólera, leptospirose e até hepatite. Todas essas doenças levam à morte, principalmente de crianças e idosos.

Como denunciar

A própria comunidade pode denunciar o caso de água servida sendo jogada diretamente na rua ao Demupe, através dos telefones: 3411-5639 ou 99949-5394 (Whatsapp). Ou pode denunciar também clicando aqui.

De acordo com o Código de Posturas do Município, o morador que for flagrado jogando água servida direto na rua é notificado e recebe uma multa que varia de R$ 100 a R$ 500.

Entenda o que é Contribuição de Melhorias

O Projeto Municipal de Contribuição de Melhorias é uma parceria entre a Prefeitura e moradores. O pagamento das obras é realizado com contribuição dos moradores levando em consideração a valorização dos imóveis nos bairros e custo da obra.

A Contribuição de Melhoria é um dispositivo legal previsto na Constituição Federal de 1988, destacando que famílias de baixa renda que moram nos setores têm direito à isenção.

Além do Setor Anhanguera, outro setor que também está em processo de análise para ser inserido na Contribuição de Melhorias é o Beira Lago, que deve beneficiar indiretamente os setores Tecnorte e Jardim Filadélfia. O projeto e o orçamento contemplam linhas de drenagem de água das chuvas e nascentes, pavimentação e sinalização horizontal e vertical no bairro. (Joselita Matos)

Comentários pelo Facebook: