Sobral – 300×100
Seet

MPE investiga culpados pelo incêndio que devastou zona rural de Carmolândia

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
O incêndio atingiu várias fazendas da região

O Ministério Público Estadual investiga eventuais responsabilidades sobre o incêndio de grandes proporções que devastou cerca de oito fazendas e matou centenas de cabeças de gado no município de Carmolândia, em setembro de 2017.

Um inquérito civil público foi instaurado no dia 11 de abril de 2018 na 12ª Promotoria de Justiça de Araguaína pelo promotor Airton Amilcar Machado Momo. Conforme o órgão, figuram como interessados o meio ambiente e a coletividade.

O incêndio atingiu inicialmente uma área às margens da rodovia TO-164 no dia 16 de setembro de 2017 e se alastrou por várias propriedades da região. Diversos animais morreram queimados ou asfixiados, e o fogo ainda destruiu cercas e pastagens.

Vários trabalhadores e profissionais brigadistas auxiliaram no combate ao incêndio até a chegada do Corpo de Bombeiros, que demorou a comparecer no local por falta de efetivo.

Investigação

A investigação para identificar a verdadeira causa do incêndio iniciou logo após o incêndio. Um relatório parcial do Ibama apontou que o fogo pode ter sido provocado pelo rompimento de um cabo de energia da Energisa Tocantins.

Uma equipe formada por um servidor do Ibama, perito em fogo, um perito da Polícia Civil e um engenheiro eletricista do Corpo de Bombeiros vistoriaram a área devastada.

O Ibama notificou a Energisa e a empresa ficou de enviar ao órgão as respostas dos questionamentos. Caso a Energisa seja mesmo a responsável pelo incêndio, o Ibama afirmou que adotará providências para responsabilização administrativa e criminal.

Veja mais

Incêndio mata cerca de mil cabeças de gado, devasta oito fazendas e deixa prejuízo milionário

IBAMA aguarda resposta da Energisa para emitir parecer final sobre incêndio em fazendas

Comentários pelo Facebook: